Tem Obrigações PT Finance? Prazo para transferir termina hoje

Os detentores destas Obrigações estão a pagar custos de manutenção e guarda desde que são titulares destes títulos.

A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) alertou os titulares das Obrigações emitidas pela Portugal Telecom International Finance BV (PTIF) que podem deixar de ter os títulos em seu nome e podem transferir as obrigações para uma conta valores junto de um intermediário financeiro até este sábado, dia 15 de setembro, deixando, assim, de suportar custos de manutenção e guarda de títulos.

“Informam-se os credores titulares das Obrigações emitidas pela PTIF – em recuperação judicial (emissão PTPTCYOM0008) e que tenham sido integralmente reembolsados no âmbito do programa para acordo com credores do Grupo Oi que, tendo-se comprometido a manter as suas Obrigações PTIF bloqueadas até ao cancelamento de toda a emissão ou, caso assim fossem instruídos pela Oi a transferir as Obrigações PT para uma conta de valores mobiliários junto de instituição financeira por ela indicada, poderão agora, aproveitar esta oportunidade para deixarem de terem os títulos em seu nome”, refere a CMVM.

Em comunicado, o regulador do mercado explica que estes titulares podem “transferir as obrigações até ao próximo dia 15 de setembro de 2018, devendo-se informar junto do seu intermediário financeiro dos procedimentos, e eventuais custos, para a transferência das obrigações, contudo deixando de suportar eventuais custos de manutenção e guarda”.

Os detentores destas Obrigações estão a pagar custos de manutenção e guarda desde que são titulares destes títulos.

Recomendadas

Investidores penalizam banca alemã depois do envolvimento do Deutsche no escândalo do Danske Bank

O Deutsche Bank é suspeito de participar num esquema de branqueamento de capitais ao processar pagamentos para o Danske na Estónia em 2015.

Empresas aumentaram autonomia financeira e diminuíram dívidas em 2017

O capital próprio das empresas em percentagem do ativo subiu para 33,2%, enquanto o peso dos empréstimos no total reduziu-se para 31,3%, revela o Banco de Portugal.

Agricultura volta a merecer a atenção da banca. BPI reforça liderança no financiamento de curto prazo

O BPI é mais um banco a anunciar o reforço no apoio ao setor agrícola. O banco liderado por Pablo Forero “apresenta um conjunto de soluções completas que se adequam às múltiplas necessidades das empresas agrícolas e agroindustriais, nomeadamente para apoio à tesouraria e ao investimento”.
Comentários