Tempo está esgotar-se para um Brexit com acordo, alertam Reino Unido e Bruxelas

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, afirmou que chegar a um acordo seria “preferível”, mas avisa que o Reino Unido prosperaria na mesma caso não fosse alcançado.

O Reino Unido e a União Europeia (UE) alertaram esta segunda-feira, dia 30 de novembro, que o tempo para garantir um acordo comercial do Brexit está a chegar ao fim, com os negociadores ainda à procura de um acordo sobre a ajuda estatal, fiscalização e pesca para evitar uma saída turbulenta dentro de um mês, segundo a “Reuters”.

A 31 de dezembro, o Reino Unido deixa a órbita da UE quando o período de transição da adesão informal termina no seguimento da saída formal anunciada em janeiro passado, e os dois lados estão a tentar garantir um acordo para governar quase um trilião de dólares (835 biliões de euros) em comércio anual.

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, afirmou que chegar a um acordo seria “preferível”, mas avisa que o Reino Unido prosperaria na mesma caso não fosse alcançado. Por sua vez, George Eustice, o secretário britânico do Meio Ambiente, sublinhou que “estamos a ficar sem tempo. Esta é a semana crucial, precisamos de conseguir um avanço”, acrescentando que, se houverem progressos esta semana, as negociações poderiam ser estendidas.

Depois de quebrarem vários prazos, os negociadores estão presos principalmente em assuntos como a pesca, os auxílios estatais e em como resolver quaisquer disputas futuras. Um acordo comercial não apenas salvaguardaria o comércio, mas também reforçaria a paz na Irlanda do Norte controlada pelos britânicos, embora seja quase certo que haja alguma perturbação nos pontos de fronteira mais movimentados da UE com o Reino Unido.

O fracasso em garantir um acordo representaria um problema para as fronteiras, assustaria os mercados financeiros e interromperia as delicadas cadeias de abastecimento que se estendem por toda a Europa e além – num momento em que o mundo luta com o vasto custo económico provocado pela pandemia de Covid-19.

Recomendadas

Tomada de posse de Biden marcada pela segurança e sem qualquer distúrbio

As preocupações com segurança no dia da transição de poder nos EUA levou a um aparato nunca antes visto em Washington, mas também nos Capitólios estatais por todo o país. A cerimónia correu, ainda assim, sem imprevistos ou distúrbios.

Tomada de posse de Joe Biden: 23 minutos de apelo à unidade

Num discurso praticamente monotemático, o novo presidente dos Estados Unidos afirmou saber as causas da fratura em que o país vive e pediu a todos que se lhe juntem para salvar a democracia. Trump, o assalto ao Capitólio e a Covid-19 foram os temas omnipresentes.

Morgan Stanley regista lucro e receita acima do esperado no quarto trimestre

A receita, por sua vez, subiu de 10,9 mil milhões de dólares nos últimos três meses de 2019 para 13,6 mil milhões nos meses de outubro a dezembro do ano passado, superando as previsões dos analistas.
Comentários