Tensões internas e externas penalizam Wall Street

Os últimos dias têm sido conturbados nos Estados Unidos, com muitas cidades em protestos contra as forças policiais, com os cidadãos a queixarem-se de racismo e excesso de força por parte das autoridades.

Traders work on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) shortly before the closing bell in New York, U.S., January 6, 2017. REUTERS/Lucas Jackson

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram esta sessão com tendência negativa e contrariam o sentimento europeu. Os últimos dias têm sido conturbados nos Estados Unidos, com muitas cidades em protestos contra as forças policiais, com os cidadãos a queixarem-se de racismo e excesso de força por parte das autoridades.

Na frente internacional, o sentimento está a ser penalizado por causa das tensões entre os Estados Unidos e a China. As autoridades de Pequim travaram importações de produtos agrícolas norte-americanos depois de terem imposto às empresas estatais agrícolas para interromperem a compra de alguns produtos.

Este episódio soma à tomada de posição de Washington contra o governo de Xi Jinping por ter passado legislação que diminui a autonomia de Hong Kong.

Esta segunda-feira, o industrial Dow Jones cede 0,24%, para 25.320,97 pontos; o S&P 500 cedia 0,19%, para 3.038,60 pontos; e o tecnológico Nasdaq avança ligeiramente 0,03%, para 9.493,03 pontos.

Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millennium bcp, adianta que “no seio empresarial, destaque para a subida da Coty após um acordo definitivo para a venda do negócio de cabelos à KKR. Já a Pfizer recua mais de 6%, depois do Ibrance falhar o objetivo primário nos estudos fase III. De notar também que o medicamento Remdesivir da Gilead para o Covid-19 falhou em alcançar significância estatística no regime de 10 dias”.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está a desvalorizar. Em Londres, o barril de Brent, referência mundial,, cai 0,82%, para 37,53 dólares. Nos Estados Unidos, o West Texas Intermediate recua 0,24%, para 34.66 dólares.

Ler mais

Relacionadas

PSI 20 negoceia em alta com três cotadas a valorizar acima dos 4%

O principal índice bolsista português soma 1,84%, para 4.410,15 pontos. Os títulos dos CTT, da NOS e da Pharol negoceiam acima dos 4%.
Recomendadas

Nasdaq lidera quedas em Wall Street

As tecnológicas acentuaram as perdas, nomeadamente as FAANG. A Facebook perdeu 2,48%, a Apple cedeu 0,46%, a Amazon tombou 3%, a Netflix afundou 4,23% e a Alphabet, dona da Google, caiu 1,74%. Também a Microsoft teve uma sessão negativa, desvalorizando 3,09%.

Domingos Soares de Oliveira: “não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”

“Conforme é sabido, o nosso presidente tem uma relação pessoal com o treinador Jorge Jesus, portanto é natural que converse com o treinador, mas não não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”, vincou Domingos Soares de Oliveira.

PSI-20 fecha em alta com a ajuda do BCP que valorizou mais de 3%

O BCP foi a estrela da sessão ao subir mais de 3%. Mas a queda da EDP, depois das notícias de que a própria empresa deverá ser constituída arguida no processo de rendas excessivas, travou a subida do PSI-20 que fechou em alta, mas abaixo das principais praças da Europa.
Comentários