Teresa Damásio ao JE: “a formação profissional é um eixo central na reconstrução da Europa”

A administradora do grupo Ensinus volta a ser embaixadora da Semana Europeia da Formação Profissional 2020, que se realiza em novembro, em representação de Portugal.

“Na Europa pós-Covid, a formação profissional assume uma relevância muito grande, atendendo ao elevado número de desempregados e à reestruturação que se sentirá em todo o tecido empresarial mercê dos lay offs e dos novos empregos que vão surgir. Estamos a falar das economias de todos os estados membros atingidas por  uma disrupção em que há a necessidade de uma reorganização ao nível do capital humano – trabalhadores, empregadores, dos próprios sindicatos e associações patronais”. Quem o afirma ao Jornal Económico é Teresa Damásio, administradora do grupo Ensinus, que acaba de ser nomeada pela Comissão Europeia para Embaixadora da Semana Europeia da Formação Profissional 2020 em representação de Portugal.

A Semana Europeia da Formação Profissional terá lugar entre 9 a 13 de novembro na cidade de Berlim, no entanto todos os eventos serão excecionalmente em formato virtual devido à pandemia da Covid-19.

Teresa Damásio é nomeada pelo segundo ano consecutivo para liderar esta iniciativa, sendo a primeira vez que uma nomeação destas se repete. Entre as suas incumbências está a promoção do investimento no ensino profissionalizante durante o corrente ano a nível nacional e internacional, bem como a sua participação virtual em alguns eventos em toda a Europa.

“Há uma grande necessidade de nos reinventarmos e no meu entender, a formação profissional é o grande mote dessa reinvenção”, salienta, acrescentando que é preciso dotar o trabalhador de mais competências técnicas, enquanto pessoa e enquanto técnico, para enfrentar uma nova realidade que ninguém esperava. Neste plano de reconstrução, qual plano Marshall, mas desta feita um plano desenhado e financiado pelos europeus, com Bruxelas ao leme, a formação profissional, é sem dúvida um eixo central.

Com 19 instituições de ensino, das quais oito escolas profissionais, o grupo Ensinus, do qual Teresa Damásio é administradora, é o maior grupo de ensino privado em Portugal. O projeto de ensino vertical do grupo compreende unidades desde o pré-escolar ao ensino superior, integrando igualmente instituições centenárias como as Escolas de Comércio de Lisboa e do Porto, o INETE – Instituto de Educação Técnica, a EPAR – Escola Profissional Almirante Reis e a EPET – Escola Profissional de Estudos Técnicos. Presente em Moçambique com o IEG e o ISG, Ensinus tem em curso o reforço do processo de internacionalização. Só nos dois últimos anos abriu três novas instituições: uma em Cabo Verde de Ensino Profissional e duas na Guiné-Bissau, o IPT – Instituto das Profissões e Tecnologias, de Ensino Profissional e o ISG – Instituto Superior de Gestão e Administração Pública, de ensino superior.

 

 

 

Ler mais
Recomendadas

Matrículas só são obrigatórias para alunos que começam novo ciclo

Ministério da Educação decidiu mudar as regras face às dificuldades sentidas nas últimas semanas por pais e encarregados de educação. Site das matrículas até foi alvo de ataques informáticos.

Ministério da Educação dá vínculo a mais 872 professores

A Direção-Geral da Administração Escolar publicou esta terça-feira, 7 de julho, as listas definitivas do concurso externo de professores que pode consultar aqui. O número candidatos voltou a subir, passando de 34 mil, em 2019, para quase 37 mil em 2020.

Perdas até 21 mil milhões. Universidades britânicas em risco de declarar insolvência devido à Covid-19

Sem identificar, o estudo da IFS conclui que as universidades mais prestigiadas terão mais probabilidades de sobreviver aos impactos da crise pandémica. Antecipam-se perdas que podem chegar a 21 mil milhões de euros.
Comentários