Terrenos da Baía do Tejo: vêm aí os russos…

A Baía do Tejo garante que está assegurada a passagem de responsáveis e empresários russos pelos territórios da Lisbon South Bay,

Está prevista a vinda a Portugal de uma comitiva composta por várias entidades e empresas de diversos setores de atividade da Federação Russa, asseguram os responsáveis da Baía do Tejo, empresa do universo Parpública que gere os terrenos de diversos parques empresariais.

Apesar de ainda não estar definida a data da visita dessa comitiva russa a Portugal, a Baía do Tejo garante que está assegurada a passagem de responsáveis e empresários russos pelos territórios da Lisbon South Bay, constituídos pelos antigos parques industriais da CUF, no Barreiro; da Siderurgia Nacional, no Seixal; e da Lisnave, na Margueira.

Este é o resultado da participação da Baía do Tejo na ProdExpo, uma das mais importantes feiras do setor industrial e agroalimentar da Rússia, que teve lugar em Moscovo de 11 a 15 de fevereiro.

Nessa ocasião, a administração da Baía do Tejo assinou três protocolos com entidades ligadas à Câmara de Comércio e Indústria da Federação Russa.

“Estes protocolos vieram confirmar o grande interesse da comunidade empresarial russa na vantajosa posição geoestratégica de Portugal e no ambiente efervescente que a região da Grande Lisboa e as principais cidades do nosso País têm manifestado”, defendem os responsáveis da Baía do Tejo.

Um dos protocolos assinados foi com a Câmara de Comércio e Indústria de Moscovo, que representa cerca de 3.500 associados.

Esta entidade “deu nota do interesse e apetência crescentes que as empresas russas vêm manifestando na internacionalização e confirmou que este é um momento em que estas empresas estão muito voltadas para o investimento e apostadas em alargar a sua presença no exterior”.

Nas palavras do vice-presidente desta Câmara de Comércio, Suren Vardanyan, foi também explicada a vontade e interesse de Moscovo em receber empresas que desejem instalar-se em Moscovo, “às quais serão garantidas condições vantajosas”.

Suren Vardanyan sublinhou também “a importância que assume para esta câmara a credibilidade e a fiabilidade que reconhece à Baía do Tejo ao longo dos contactos que têm sido mantidos e que agora se aprofundam, entre ambas as entidades”.

“O interesse nos ativos residentes nos territórios Lisbon South Bay e o ‘know how’ reconhecido à Baía do Tejo na gestão de parques com ADN marcadamente industrial foram considerados positivos e torna-se agora mais fácil todo o processo das empresas russas que se queiram instalar nos concelhos de Almada, Barreiro e Seixal e, mais a norte do País, em Estarreja”, assegura a empresa liderada por Jacinto Pereira.

A ProdExpo deste ano, teve cerca de 60 mil visitantes, individuais e institucionais, e contou com expositores de 63 países e 2.343 empresas participantes, das quais 1.659 eram russas.

Recomendadas

Do “Cartão Vermelho” ao “Fora de Jogo”: como combater as ilegalidades do futebol português? Veja o “Jogo Económico”

Acompanhe o “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Presidente da República diz que Alemanha e Volkswagen prometeram e cumpriram com Portugal

“A Autoeuropa correu bem porque, em primeiro lugar – como já disse o senhor primeiro-ministro -, nós mostrámos que éramos capazes de fazer bem feito”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, salientando que os portugueses também demonstraram ser capazes de ser consistentes na produção de qualidade, capacidade de resiliência e de inovação.

Portuguesa Blue Oasis Technology foi uma das startups vencedoras do programa das fundações Oceano Azul e Calouste Gulbenkian

A empresa, com menos de um ano de vida, desenha, constrói e instala “recifes” artificiais que permitem a, recuperação de ecossistemas marinhos danificados e a reversão do declínio da biodiversidade do oceano. Noruegueses da Tekslo Seafood e argentinos da FeedVax também se destacaram.
Comentários