“Tiraremos todas as ilações”. Costa reage a relatório de Pedrógão

Primeiro-ministro admite que não leu a totalidade do relatório da Comissão Independente à tragédia mas promete “fazer uma reflexão”.

Reuters

O primeiro-ministro afirmou hoje que o Governo irá assumir todas as responsabilidades decorrentes do relatório elaborado pela Comissão Técnica Independente sobre os incêndios de Pedrógão Grande e Góis, incluindo, eventualmente, as de ordem política.

António Costa falava aos jornalistas em São Bento, Lisboa, depois de ter estado reunido mais de uma hora com o coordenador da Comissão Técnica Independente, o ex-reitor da Universidade do Algarve João Guerreiro.

“Pela parte do Governo, por respeito pela Assembleia da República, por respeito pelos profissionais que elaboraram este relatório, mas, sobretudo, por respeito pelas vítimas e seus familiares, o que nos compete é fazer uma reflexão serena sobre a informação disponível e as recomendações apresentadas. As responsabilidades são aquelas que resultam do relatório e assumi-las-emos totalmente”, frisou.

Mais tarde, interrogado sobre eventuais responsabilidades políticas decorrentes do relatório, António Costa, que tinha ao seu lado os ministros da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e da Agricultura, Capoulas Santos, respondeu: “Se for caso disso, sim”.

Relacionadas

“Estado falhou” em Pedrógão Grande. PSD não poupa Costa nem Constança

Sociais-democratas consideram que o relatório da Comissão Técnica Independente sobre os incêndios confirma que “o Estado falhou” e apontou como sobretudo dois responsáveis.

“Opções táticas” contribuíram para mortes em Pedrógão Grande, denuncia relatório

As “opções táticas e estratégicas” tomadas durante o combate ao incêndio de Pedrógão Grande contribuíram para as “consequências catastróficas” do fogo, que provocou 64 mortos, conclui o relatório da comissão técnica independente, divulgado hoje.

Relatório indica falha humana na resposta inicial ao fogo de Pedrógão

A conclusão foi anunciada pelo presidente da comissão, João Guerreiro, após ter entregue o relatório ao presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues.

Incêndios: Área ardida ultrapassa 215.000 hectares, a maior dos últimos 10 anos

Os grandes incêndios foram responsáveis este ano por quase 90% do total da área ardida, destruindo mais de 192 mil hectares de espaços florestais, segundo o mais recente relatório do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Pedrógão Grande: Já foram atribuídos cinco milhões de euros em compensações

Fundo de Solidariedade, no valor de 2,5 milhões de euros, para apoio aos familiares das vítimas mortais na tragédia de Pedrógão Grande e feridos graves e muito graves está “em fase de consolidação”.
Recomendadas

Pedidos de habitação social em Lisboa atingem máximo de oito anos

Segundo dados da autarquia, vivem nos bairros municipais “cerca de 75 mil pessoas”, o que corresponde a “mais de 15% da população da cidade”. Na cidade do Porto existem mais de mil pedidos por satisfazer.

Táxis: Taxistas insistem que mantêm protesto até serem recebidos pelo Governo

Os taxistas continuam este sábado parados, pelo quarto dia consecutivo, e determinados a manter o seu protesto até serem recebidos pelo Governo, disse hoje Florêncio Almeida, da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros de Passageiros (ANTRAL).

Diretor artístico do Museu de Serralves apresenta demissão

O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou na sexta-feira a sua demissão porque “já não tinha condições para continuar à frente da instituição”, segundo disse o próprio ao jornal Público.
Comentários