Tobias C. Pross é o novo CEO da Allianz Global Investors

Tobias C. Pross era até então diretor global de distribuição e trabalha há mais de 20 anos no grupo. Deborah Zurkow sobe a diretora global de investimentos, cargo até então exercido também por Andreas Utermann.

Fotografia cedida

Andreas Utermann deixa o cargo de CEO da Allianz Global Investors a 1 de janeiro do próximo ano, sendo substituido por Tobias C. Pross, informou a gestora de ativos em comunicado divulgado esta terça-feira.

Já Deborah Zurkow sobe a diretora global de investimentos, cargo até então exercido também por Andreas Utermann.

“Sair da AllianzGI não vai ser fácil. Ter tido a oportunidade de trabalhar ao lado de tantas pessoas talentosas e empenhadas, desenvolver e liderar uma equipa forte e construir um negócio de investimento global respeitado, é uma fonte de grande orgulho”, disse Andreas Utermann, em comunicado. “É, portanto, reconfortante poder passar a liderança da empresa ao Tobias e à Deborah, que têm a energia, a perspicácia e os valores para desenvolver ainda mais a oferta e a reputação da AllianzGI”, concluiu.

Tobias C. Pross era até então diretor global de distribuição e trabalha há mais de 20 anos no grupo, já Deborah Zurkow engressou no grupo em 2012, exercendo atualmente funções de diretora global de alternativos.

“Em nome do Conselho, gostaria de agradecer ao Andreas a paixão, o cuidado e a visão clara que trouxe para o desenvolvimento da AllianzGI ao longo de muitos anos. Vai fazer falta”, elogiou Jackie Hunt, membro do Conselho de Administração da Allianz, responsável pela gestão de ativos. “Entrega a liderança da firma a pessoas bem posicionadas para aproveitarem ao máximo as opções disponíveis para a AllianzGI, para esta continuar a servir bem os clientes num período de mudança no setor”, acrescentou.

Recomendadas

EDP encaixa mais 273 milhões com venda de défice tarifário de 2020

Através de cinco transacções individuais, eléctrica alienou 23,4% do défice tarifário de 2020 relativo ao sobrecusto com a produção em regime especial.

Autoridade da Concorrência admite mais acusações “nos próximos meses” na grande distribuição

Concorrência tem dez investigações me curso, mas admite não conseguir “ir a todos”. Embora eventuais acusações dependam das conclusões das investigações, a AdC vê na grande distribuição uma prioridade, por práticas indevidas terem potencial de limitar “opção de escolha” do consumidor.

Ações da Amazon ainda podem valorizar 16% até ao fim do ano

Mais de quatro meses após o início da pandemia, os analistas de Wall Street estimam que a empresa deve crescer mais 16% até ao fim do ano devido ao aumento da procura pelo comércio online.
Comentários