Trabalhadores da EDP fazem greve dia 20 de abril por aumentos salariais

“Temos desafiado todos os trabalhadores a participarem na greve, independentemente da sua filiação sindical, pois a unidade é muito importante para o resultado desta luta”, disse o sindicalista Joaquim Gervásio.

Os trabalhadores da EDP marcaram uma greve nacional para dia 20, para contestar a proposta de aumentos salariais de 0,2% apresentada pela empresa, anunciou hoje, quinta-feira, fonte sindical.

“Na reunião negocial de ontem [dia 7], a administração da EDP apresentou uma proposta de aumento 0,2% para todos os trabalhadores, realçando que está disponível para fazer uma majoração nas bases remuneratórias mais baixas da tabela salarial. Esta proposta é inaceitável porque está longe do respeito, da dignificação e da valorização que os trabalhadores das empresas do Grupo EDP merecem”, disse à agência Lusa Joaquim Gervásio, dirigente da Fiequimetal.

A Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Elétricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas (Fiequimetal) emitiu na segunda-feira um pré-aviso de greve para 20 de abril, depois de ter feito, na semana passada, plenários de trabalhadores por todo o país.

Os plenários decorrem ainda esta semana e, segundo Joaquim Gervásio, os trabalhadores têm manifestado grande descontentamento e disponibilidade para a luta.

“Temos desafiado todos os trabalhadores a participarem na greve, independentemente da sua filiação sindical, pois a unidade é muito importante para o resultado desta luta”, disse o sindicalista.

Tendo em conta a proposta da empresa, a Fiquimetal manteve a sua proposta de aumentos salariais de 90 euros por trabalhador.

O salário mais baixo da EDP, que tem cerca de 6.000 trabalhadores, é de 1.000 euros.

A Fiequimetal marcou ainda uma ação de protesto para quarta-feira, no âmbito da qual uma delegação sindical vai estar junto à sede da EDP, em Lisboa, para dar uma conferência de imprensa.

À mesma hora, decorrerá a assembleia-geral de acionistas, para aprovar a distribuição de mais de 750 milhões de euros de dividendos.

Ler mais
Recomendadas

Energia 4.0

A conjugação da descarbonização com a inovação criou o enquadramento perfeito para as mudanças profundas na forma como as empresas de energia operam.

Banco Português de Fomento recusa empréstimo de 30 milhões à Groundforce

Para a recusa do empréstimo, o BPF argumentou com a “ausência da aprovação e implementação efetiva por parte da administração da Groundforce, de um plano de reestruturação profundo, que adeque a estrutura de custos à nova realidade de receitas, e à recuperação lenta esperada para o setor da aviação comercial”.

BCI, Millennium Bim e Standard seguem como bancos importantes em Moçambique

No rácio que mede a importância para o setor, rotulada com a sigla inglesa D-SIB, o BCI encabeça a lista com 278 pontos, seguindo-se o Millennium Bim com 257 e o Standard Bank com 159.
Comentários