Trabalhadores da Saint-Gobain vão manifestar-se em S. Bento contra despedimento coletivo

A concentração junto à residência oficial de S.Bento foi decidida pelos trabalhadores que se manifestaram hoje junto ao Ministério do Trabalho, onde foi pedida a marcação de uma reunião com a ministra Ana Mendes Godinho.

A atual chefe do gabinete do primeiro-ministro aufere cerca de 5.200 euros de salário mensal bruto,

Os trabalhadores da Saint-Gobain em Santa Iria da Azoia, Loures, vão manifestar-se na próxima semana junto à residência do primeiro-ministro para lhe pedir que trave o despedimento coletivo dos 130 funcionários da fábrica, disse hoje fonte sindical.

“Vamos pedir a intervenção do Governo junto desta multinacional, para que impeça o encerramento da fábrica e defenda os interesses do país e o aparelho produtivo nacional, dado que é a única fábrica do país que produz vidro para automóveis”, disse à agência Lusa Fátima Messias, coordenadora da Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro (FEVICCOM).

A concentração junto à residência oficial de S.Bento foi decidida pelos trabalhadores que se manifestaram hoje junto ao Ministério do Trabalho, onde foi pedida a marcação de uma reunião com a ministra Ana Mendes Godinho.

Segudo Fátima Messias, uma delegação sindical foi recebida por responsáveis do gabinete da ministra, que prometeram o agendamento de uma reunião para breve.

A FEVICCOM está também a aguardar a marcação de uma reunião, para a próxima semana, com o ministro da Economia, depois de, na sexta-feira, terem protestado junto ao seu Ministério.

“O Governo tem o direito e o dever de intervir neste processo, pois se a fábrica encerrar, o vidro para os automóveis, comboios e autocarros, que ali é produzido, passará a ser importado, o que agravará o défice”, considerou a coordenadora da FEVICCOM.

Os trabalhadores da Saint-Gobain estão decididos a fazer tudo para manter a empresa e os seus postos de trabalho, estando há cerca de 20 dias concentrados junto à fábrica de Santa Iria, fardados, “disponíveis para retomar o trabalho de imediato”.

Recomendadas

DGERT. Despedimentos coletivos comunicados até agosto caem para 248

O número de despedimentos coletivos comunicados até agosto caiu para 248, perto de metade do registado no mesmo período do ano anterior, quando se verificaram 455 processos, segundo a Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT).

“Conversas com Norte”. “Precisamos da ciência para enfrentar o futuro”, defende responsável do ISCTE

A importância da ciência, num cenário pós-pandemia, é um dos temas abordados no livro “67 Vozes por Portugal – A Grande Oportunidade”, da Editora Leya, uma iniciativa do ISCTE Executive Education. Trata-se de um livro que junta as visões do futuro de Portugal por 67 personalidades portuguesas, entre empresários, artistas, gestores, académicos e tantos outros. José Crespo de Carvalho, presidente da Comissão Executiva do ISCTE, foi convidado a apresentar o livro no “Conversas com Norte” desta semana. Ouça a entrevista no site do JE e na ‘playlist’ do JE no Spotify.

“É muito difícil não ver na conquista de Lisboa alguns indícios preocupantes para o PS”, avalia subdiretor do JE

A capital protagonizou a grande surpresa da noite com a vitória de Carlos Moedas. Na análise aos resultados das eleições autárquicas, Leonardo Ralha, subdiretor do JE, considera que, apesar da ganhar a maioria das autarquias do país, os socialistas vão ter que analisar este resultados e perceber se refletem o desgaste do próprio Governo.
Comentários