Transformação Digital: setorial ou universal?

O Mundo está a mudar. Na verdade estamos já em mudança há algum tempo mas nunca a esta velocidade. A transformação digital não é mais uma tendência, é uma realidade transversal a toda a sociedade que não se cinge apenas a um setor.

Conhecer as preferências dos consumidores e as necessidades dos cidadãos, tornou-se uma exigência para as organizações que têm agora de moldar as suas estratégias de acordo com as exigências atuais dos seus clientes, cada vez mais conscientes e informados.

Hoje o foco está nas pessoas e por esse motivo, as estratégias empresariais devem centrar-se, cada vez mais, no desenvolvimento de mecanismos que proporcionem aos clientes melhores experiências. O surgimento de plataformas de turismo, desenvolvidas para facilitar a vida dos utilizadores ou a disponibilização de melhores serviços na Administração Pública, são bons exemplos desta realidade.

Diariamente assistimos à proliferação de novas plataformas digitais baseadas em tecnologias de computação cognitiva e de inteligência artificial, como os chatbots em setores como a banca e os seguros. Estas novas tecnologias têm contribuído para personalizar as experiências de interação com o cliente e ampliar a capacidade das organizações na deteção de fraude através de sistemas de autenticação biométrica.

Também na saúde, temos vindo a assistir a diversas transformações, com a proliferação dos wearables e as tecnologias IoT, que têm vindo a contribuir para a prevenção de problemas de saúde, para a redução de custos governamentais ou mesmo para a personalização dos procedimentos, proporcionando assim serviços eficientes e inovadores e que respondem às exigências dos utentes cada vez mais informados.

Noutras áreas, como a indústria, temos vindo a assistir ao desenvolvimento de tecnologias de big data e cloud computing que têm contribuído para antecipar problemas operacionais, reduzir a margem de erro ao mesmo tempo que contribuem para um ambiente mais sustentável.

Apesar das transformações digitais verificadas, todos os setores têm de continuar a ser capazes de antever e antecipar as mudanças e a desenvolver estratégias e tecnologias que vão ao encontro das necessidades dos seus clientes.

O facto da transformação digital ser transversal a diversos setores é um indício que o tema é cada vez mais universal e global, potenciando assim a sua importância dentro das empresas. E, a forma como estas vão responder a este fenómeno vai influenciar o futuro dos seus negócios, a sua competitividade ou mesmo a sua sobrevivência.

Ler mais
Recomendadas

Dados, análise e personalização como fator de competitividade

Muitas empresas estão hoje empenhadas em fixar preços de forma dinâmica ou seja, pessoas diferentes pagam preços diferentes pelo mesmo produto ou serviço mas esta prática deve ser acompanhada também de um ajuste das experiências que se oferecem aos clientes, com base na informação recolhida, muitas vezes em tempo real, tratando-os de forma personalizada.

Paridade de género: Será bom para as empresas começar pelo Conselho de Administração?

Os mercados estão cada vez mais dinâmicos, com mudanças impulsionadas pela tecnologia, por alterações demográficas e por um papel mais ativo dos consumidores. Num mundo em constante desenvolvimento, as empresas com equipas diversas e ambientes inclusivos ficam em vantagem face aos seus concorrentes.

Porque têm as empresas de produtos de consumo de se transformar em empresas de soluções de consumo?

Nestes últimos meses temos tido o privilégio de estar com cada vez mais empresas que estão a tentar formar relações diretas com os consumidores, obrigando desta forma a que o retalho tenha a necessidade de redefinir o seu propósito e encontrar novas formas de criar valor.
Comentários