Tribunal escocês declara suspensão do Parlamento britânico ilegal

O parlamento britânico ficará suspenso até dia 14 de outubro depois de ter recebido ‘luz verde’ dos tribunais ingleses. Juízes da mais alta instância judicial da Escócia, ‘barram’ o Governo e afirmam que a suspensão é “inconstitucional”.

Os magistrados da mais alta instância judicial da Escócia declararam que a decisão de Boris Johnson de suspender o parlamento, antes do prazo do Brexit a 31 outubro, é ilegal.

De acordo com o The Guardian, esta quarta-feira, os três juízes do principal tribunal de recurso civil daquele país e presidido por Lorde Carloway, o juiz mais importante da Escócia, revogaram uma decisão anterior de que os tribunais não tinham o poder de interferir na decisão política do primeiro-ministro de prorrogar o parlamento.

Uma vitória na semana negra de Boris. Suspensão do parlamento é “constitucional”, determina Supremo Tribunal

Assim, um painel de três juízes do Tribunal da Relação da Escócia, decidiu a favor de 75 deputados da oposição que desafiaram a legalidade da decisão do primeiro-ministro conservador e declararam a decisão “inconstitucional”, pois foi projetada para reprimir o debate e a ação parlamentar contra um “hard Brexit”. O Parlamento foi ficou suspenso, esta segunda-feira, até 14 de outubro,

O governo britânico vai apelar contra a decisão do tribunal de recurso escocês, que contradiz outra deliberação judicial da semana passada.. Foi agendada uma audiência de emergência, para dia 17 de setembro, para que os magistrados apresentem ambos argumentos para ambos os casos.

Ler mais
Relacionadas

Esforços de Boris para impedir extensão do Brexit podem levá-lo à prisão

A imprensa britânica divulgou que o primeiro-ministro tem um novo ‘truque na manga’. Magistrados e especialistas jurídicos já alertam que Boris Johnson não está acima da lei, e que caso a lei de Benn não seja respeitada, o líder do Partido Conservador pode acabar preso.

Moody’s afasta cenário de ‘hard Brexit’, mas tem dúvidas sobre como vai acontecer saída da UE

A agência de rating Moody’s afirma que as incertezas e instabilidade no Reino Unido continuam a pesar no crescimento, nos gastos e na contratação britânica, tendo impactos negativos sobre o crédito.

Brexit: Parlamento britânico dá início à sua mais longa suspensão em mais de 40 anos

Os rituais seculares de suspensão do parlamento britânico foram hoje perturbados pelos protestos de deputados da oposição e pelo desagrado manifesto do presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow.
Recomendadas

Brexit: Barnier pede que não se subestime consequências de saída sem acordo

“Porque é que o ‘backstop’ é fundamental para todos nós? Porque é na Irlanda que o ‘Brexit’ causa mais problemas e riscos. É o único local onde o Reino Unido tem uma fronteira terrestre com a UE. O motivo da nossa insistência não é ideológico, é pragmático”, argumentou Barnier.

Risco de de Brexit sem acordo é “muito real”, avisa Juncker

A seis semanas da data de saída, 31 de outubro, Juncker disse que Boris Johnson mantém a sua posição de sair da União Europeia, com ou sem acordo.

Brexit: Juncker recorda a Johnson que cabe ao Reino Unido apresentar propostas

O presidente Juncker sublinhou a permanente disponibilidade e abertura da Comissão para examinar se essas propostas correspondem aos objetivos do ‘backstop’”.
Comentários