Tribunal Europeu considera Rússia culpada pela morte de Alexander Litvinenko (com áudio)

O crítico do presidente russo Vladimir Putin, e antigo membro do FSB, foi assassinado em Londres em 2006 com um material radioativo.

4 – Rússia

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos considera a Rússia culpada pelo homicidio do cidadão russo Alexandre Litvinenko em Londres em 2006.

Litvinenko, um crítico do presidente russo Vladimir Putin, era um antigo agente do serviço secreto russo FSB que trabalhou com os serviços britânico MI6 depois de fugir para o Reino Unido seis anos antes.

O antigo espião morreu depois de ser envenenado com um material radioativo, depois de beber chá verde que continha polónio no Millennium Hotel em Londres, tendo demorado três semanas a morrer.

“A Rússia foi responsável pelo assassinato de Alexander Litvinenko no Reino Unido”, disse o tribunal citado pela “Sky News” esta terça-feira, 21 de setembro.

O tribunal europeu concluiu que os dois cidadãos russos que assassinaram Litvinenko estavam às ordens do “Estado russo”.

Em 2016, um inquérito britânico concluiu que o presidente russo tinha provavelmente aprovado uma operação para matar Litvinenko.

Dois cidadãos russos assassinaram o Litvinenko, conclui o inquérito: um antigo guarda-costas do KGB, Andrei Lugovov, e Dmitry Kovtun. A operação terá sido dirigida pelos serviços de segurança da Rússia (FSB), o sucessor do KGB.

No seu leito da morte, Litvinenko apontou o dedo a Vladimir Putin e acusou os seus antigos colegas – Kovtun e Lugovoi – de o terem envenenado.

Entre os vários motivos para a sua morte, encontra-se o facto de trabalhar para o MI6, as críticas feitas ao FSB e a Vladimir Putin, e a sua associação com outros dissidentes.

Recomendadas
joacine_katar_moreira_livre

OE 2022: Joacine Katar Moreira anuncia abstenção na generalidade (com áudio)

Até ao momento, já anunciaram o chumbo, o PSD, CDS-PP, Chega, IL e Bloco de Esquerda, num total de 105 votos. A favor, o PS (108 votos), com as abstenções das duas deputadas únicas.

Liberty lança canal de venda direta de seguros automóvel em Portugal (com áudio)

A Génesis by Liberty Seguros é a marca de seguro direto criada para o ramo automóvel, cerca de um ano depois de ter anunciado um investimento de 100 milhões de euros em tecnologia para operar o seu negócio na cloud pública.

Eleições antecipadas poderiam causar “dano sério ao país”, diz ex-ministro Vieira da Silva

Em entrevista à rádio “Antena1” e ao “Jornal de Negócios”, o antigo ministro do Trabalho considera que os partidos têm de saber fazer a conciliação entre os interesses de manutenção da sua influência e afirma que a discussão sobre a legislação laboral não devia ser confundida com a do OE.
Comentários