Tribunal rejeitou providência cautelar da Ordem dos Enfermeiros contra ministério da Saúde

A Ordem dos Enfermeiros avançou com uma providência cautelar a 6 de maio para suspender a sindicância.

Foto: Cristina Bernardo

A providência cautelar da Ordem dos Enfermeiros contra o ministério da Saúde foi rejeitada pelo tribunal, anunciou o Governo esta segunda-feira, 14 de outubro.

“O Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa decidiu pela improcedência da providência cautelar requerida pela Ordem dos Enfermeiros (OE) contra o Ministério da Saúde no âmbito do processo de sindicância determinada à OE a 16 de abril”, segundo o comunicado do ministério da Saúde.

A sindicância da Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS) teve início a 29 de abril, quando a Ordem dos Enfermeiros a avançar com a providência cautelar a 6 de maio para suspender a sindicância.

Em resposta, a ministra da Saúde, Marta Temido, apresentou junto do tribunal uma resolução fundamentada “no sentido da salvaguarda do superior interesse público, que permitiu à IGAS dar seguimento imediato à sindicância à OE”.

“A sentença hoje conhecida vem confirmar a legitimidade da sindicância determinada pela Ministra da Saúde, pronunciando-se pela inexistência de fundamentos que inviabilizassem a sua realização”, argumenta a tutela da saúde.

Recomendadas

Academia de Alcochete: Bruno de Carvalho e mais 43 arguidos começam hoje a ser julgados

O tribunal de Monsanto irá receber até abril de 2020 três sessões por semana, exceto em janeiro, mês em que haverá duas sessões semanais. O antigo presidente do Sporting Clube de Portugal responde por mais de 100 crimes.

Tribunal brasileiro anula sentença de juíza acusada de cópia, decisão pode favorecer Lula da Silva

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) anulou uma decisão da juíza Gabriela Hardt, alegando cópia de uma sentença, decisão que poderá favorecer o ex-Presidente brasileiro Lula da Silva, condenado noutro caso pela mesma magistrada.

Justiça e Banco de Portugal avaliam benefícios da comunicação eletrónica com tribunais

Protocolo celebrado entre IGFEJ e BdP permitirá que as cerca de 50 mil notificações anuais, que anteriormente eram feitas em carta por via postal, entre os tribunais e o Banco de Portugal passarão agora a ser feitas por via eletrónica.
Comentários