Trichet: Lagarde vai fazer “um bom trabalho” e Centeno tem uma “grande responsabilidade” no Eurogrupo

Antigo presidente do Banco Central Europeu diz que a nova responsável pela política monetária da zona euro “tem todas as qualidades necessárias para ser uma muito boa presidente, uma muito boa líder”.

O antigo presidente do Banco Central Europeu (BCE) Jean-Claude Trichet acredita que Christine Lagarde desempenhará com sucesso as funções na liderança da política monetária da zona euro, mesmo “em condições difíceis”. O voto de confiança estende-se a Mário Centeno, como presidente do Eurogrupo, de quem diz que “tem uma grande responsabilidade”.

“Penso que [Christine Lagarde] tem todas as qualidades necessárias para ser uma muito boa presidente, uma muito boa líder, em circunstâncias que são difíceis”, disse Jean-Claude Trichet, em declarações aos jornalistas à margem da conferência “The euro 20 years on: the debut, the present and aspirations for the future”, no Museu do Dinheiro, em Lisboa. “Mas são difíceis, pelo menos desde há 12 anos… E ela sabe disso, porque foi presidente do FMI”.

“Irá fazer um muito bom trabalho no BCE”, vincou.

Questionado sobre o mandato de Mario Centeno como presidente do BCE, Trichet considerou uma “responsabilidade muito grande”, já que tem que integrar as várias posições dos governos económicos e financeiros num único setor, mas disse que espera “ser [um trabalho] muito bem feito”.

Recomendadas

“Mercados em Ação”: Assista ao programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

UGT espanhola propõe um ano de teletrabalho para funcionários do Estado

Sindicato pretende regular o regime de trabalho com uma negociação coletiva. Após o confinamento, mais de metade dos funcionários públicos retomaram o trabalho de forma presencial.

Pandemia põe em risco mais de 40% dos empregos no Algarve, estima OCDE

A OCDE calcula que o emprego poderá cair, em média, entre 4,09% e 4,98% em 2020 nos países que fazem parte da organização, devido à pandemia, sendo que o impacto desta crise difere de país para país e até de região para região.
Comentários