Trinta das maiores tecnológicas do mundo dão emprego a sete milhões de pessoas

Ao contrário do que seria de expectável, entre as 30 maiores empresas tecnológicas do mundo, as empresas-referência Apple (147 mil), Microsoft (163 mil) e Google (60 mil) têm uma população laboral mediana.

As trinta maiores empresas tecnológicas do mundo somam um total de sete milhões de funcionários, o que corresponde a mais de dois terços da população de Portugal (10.286.263 de habitantes) e um número muito próximo da soma total dos efetivos dos exércitos dos Estados Unidos (3,2 milhões), da China (2,3 milhões) e da Rússia (1,8 milhões).

De acordo com o espanhol “El Economista”, a só a norte-americana Amazon emprega quase 1,3 milhões de trabalhadores, seja a tempo inteiro ou em part-time. No último ano, a gigante do comércio eletrónico, também com negócios no streaming e na área de serviços informáticos e cloud, incorporou um total de 427 mil novos empregados, apesar da pandemia. O reforço em recursos humanos quase que representou um reforço de 1.169 novos funcionários por dia. Fora desta contabilidade ficaram os 600 mil funcionários que, habitualmente, a Amazon emprega durante as épocas de Natal e Black Friday.

Logo atrás da Amazon surge a Foxconn, do Taiwan. Aquela que é a maior fabricante de computadores e componentes eletrónicos conta com 1,2 milhões de trabalhadores. Apesar do histórico diferendo entre a pequena nação insular e a China, esta gigante tecnológica é a maior exportadora da China, produzindo eletrónica de consumo das marcas Apple, Microsoft, Samsung, Sony e Amazon, entre outras.

O jornal espanhol destaca também a multinacional Accenture como uma das maiores empregadoras mundiais. Somando todas as subsidiárias, a gigante da consultadoria, que também desenvolve serviços tecnológicos, emprega 470 mil pessoas em 120 países. Seguem-se duas das mais emblemáticas fabricantes de smartphones: a sul-coreana Samsung cuja população laboral ascende aos 320 mil funcionários; e a chinesa Huawei, que conta com cerca de 200 milhões de trabalhadores.

Mas, observando indústria a indústria, é nas telecomunicações que se encontram o maior número de grupos de telecomunicações de dimensão planetária. Nos EUA, a AT&T emprega 273 mil funcionários, seguindo-se a Verizon com 250 mil trabalhadores. Na Europa, destacam-se a germânica Deutsche Telekom com 248 mil trabalhadores e a francesa Orange com 170 mil funcionários.

A China Mobile (112 mil funcionários), a espanhola Telefónica (113 mil), a sueca Ericsson (99 mil), as britânicas BT (106 mil) e Vodafone (86 mil) são outros grupos de telecomunicações que também se evidenciam pela a dimensão dos recursos humanos que dispõem.

Ao contrário do que seria expectável, entre as 30 maiores empresas tecnológicas do mundo, as empresas-referência Apple (147 mil), Microsoft (163 mil) e Google (60 mil) têm uma população laboral mediana.

Recomendadas

Comissão de inquérito responsabiliza Governo na venda à Lone Star

Os deputados da comissão de inquérito ao Novo Banco aprovaram hoje várias alterações ao relatório que passam a responsabilizar também o Governo socialista na decisão de venda à Lone Star, apesar dos votos contra do PS.

MDS é o único grupo ibérico no top 250 mundial das empresas de corretagem de seguros

A multinacional liderada por José Manuel Dias da Fonseca ocupa a 141ª posição no ranking mundial referente a 2020, com uma receita estimada em 79,4 milhões de dólares, refletindo o desempenho nos vários mercados onde está presente a nível global.

Aprovada pelo PS, PCP e BE conclusão no relatório da CPI que diz que Resolução do BES foi “Fraude Política”

Porém, foi aprovada uma proposta do PSD que recorre a uma citação do antigo vice-governador do Banco de Portugal (BdP) Pedro Duarte Neves na comissão de inquérito dizendo que havia regras de “usar o mínimo dos fundos públicos que sejam precisos”.
Comentários