Tripulante português infetado com coronavírus já está no hospital de Okazaki

O português Adriano Maranhão infetado com o coronavírus Covid-19, já chegou ao hospital da cidade de Okazaki, Japão, depois de uma viagem de autocarro de sete horas, disse à agência Lusa a sua mulher.

O português infetado com o coronavírus Covid-19, num navio de cruzeiros no Japão, foi hoje transferido para um hospital na cidade de Okazaki, na província de Aichi.

A viagem de Adriano Maranhão entre o porto de Yokohama e Fujita University Health Hospital, um hospital recém-construído e cuja inauguração estava prevista para abril, é o equivalente em quilómetros a uma viagem entre Lisboa e Porto.

Em declarações à Lusa via telefone, Emanuelle Maranhão disse que o marido chegou ao hospital às 11:30 (hora de Lisboa) e que se encontra sem febre, aguardando agora outros exames.

Emanuelle Maranhão disse ainda que, juntamente com o marido, viajaram outras pessoas de várias nacionalidades, sendo ele o único português.

Na segunda-feira, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse que o português, canalizador no navio de cruzeiros atracado no porto japonês de Yokohama, seria enviado para um hospital de referência local.

Graça Freitas explicou que os sintomas do tripulante do navio de cruzeiros Diamond Princess indicavam que a situação não era grave, e expressou a sua “empatia e simpatia” para com a família do trabalhador português, cuja mulher tem manifestado, em declarações à comunicação social, queixas de falta de acompanhamento da situação do marido.

A responsável afirmou que inicialmente havia suspeitas de infeção entre oito portugueses que estavam no navio – três passageiros e cinco tripulantes.

Os passageiros não acusaram a doença e, dos tripulantes, quatro tiveram resultados negativos.

Quanto a Adriano Maranhão, canalizador no Diamond Princess, não tinha inicialmente sintomas, mas o exame revelou-se positivo.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de 2.705 mortos e mais de 80 mil pessoas infetadas, de acordo com dados reportados até hoje, por cerca de 30 países.

Além de 2.665 mortos na China, onde o surto começou no final do ano, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

Em Portugal, já houve 14 casos suspeitos, que resultaram negativos após análises, estando um novo caso a ser avaliado.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

Ler mais

Relacionadas

Coronavírus: Tripulante português infetado no Japão transferido do navio para hospital de Okazaki

O português infetado com o novo coronavírus (Covid-19) num navio de cruzeiros no Japão foi esta terça-feira transferido para um hospital na cidade de Okazaki, na província de Aichi, disse à Lusa a sua mulher, Emmanuelle Maranhão.

Covid-19: Governo mantém contacto com autoridades para transferir português

“O nosso concidadão continua no navio em quarentena e ainda não foi transferido para um hospital de referência. Continuamos a insistir com as autoridades japoneses para que o seja. Esperamos que venha a ser nas próximas horas ou dias”, disse à Lusa Augusto Santos Silva.

“As pessoas têm medo, até de um simples aperto de mão”. Portuguesa em Itália conta como se lida com o coronavírus

“Na zona de Milão, os supermercados estão completamente vazios e não se encontra máscaras de proteção facial em lado nenhum”, relata ao JE uma jornalista portuguesa que reside na zona da Toscana, perto de Florença, região onde, para já, tudo está tranquilo no que diz respeito a casos de coronavírus.
Recomendadas

Leia aqui o Jornal Económico desta semana

A edição digital do Jornal Económico vai estar disponível gratuitamente durante as próximas semanas, devido à situação de emergência nacional causada pela epidemia de Covid-19. Desta forma, todos os leitores continuarão a ter acesso ao Jornal Económico.

Défice da balança comercial aumentou para 1.547 milhões de euros em fevereiro

Tanto as importações como as exportações aumentaram no segundo mês do ano devido à subida do comércio intra-União Europeia, segundo o INE.

Mais de 264 mil portugueses estão em risco de desemprego devido à pandemia

Pandemia de Covid-19 pode fazer desemprego disparar 75% até ao final do ano, segundo cálculos do Jornal Económico, com base em cenários publicados pelo Banco de Portugal e dados do Instituto Nacional de Estatística. Serviços e indústria são os mais expostos, dizem especialistas.
Comentários