Trump acredita que poderia receber um prémio Nobel. “Deram um ao Obama e ele não fazia ideia porquê”

“Poderia receber um prémio Nobel por várias coisas”, disse o presidente norte-americano, afirmando não acreditar na imparcialidade das escolhas feitas pelo comité Nobel.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acredita que poderia receber um prémio Nobel, por diversas razões, tal como o antigo presidente Barack Obama que ganhou um prémio Nobel da Paz em 2009.

Em entrevista à televisão C-Span, semelhante ao Canal Parlamento em Portugal, o ex-empresário foi questionado sobre a possibilidade de vir a receber um prémio Nobel.

“Poderia receber um prémio Nobel por várias coisas”, repetiu Trump por duas vezes. Ainda assim, sustentou que só o receberia caso este fosse entregue “de forma justa, algo que não fazem”.

Donald Trump atacou ainda o seu antecessor durante a sua resposta. “Deram um ao Obama, imediatamente após a sua subida à presidência. E ele não fazia ideia porque o recebeu”, afirmou o atual presidente dos Estados Unidos.

“E sabem que mais? Foi a única coisa em que concordámos”, garantiu Trump.

O ex-presidente Barack Obama recebeu o prémio Nobel oito meses após assumir a presidência em 2009, pelos seus “esforços extraordinários para fortalecer a diplomacia internacional e a cooperação entre as pessoas”.

 

Ler mais
Relacionadas

Trump reage ao discurso de Greta: “Ela parece uma rapariga muito feliz com um futuro maravilhoso”

“Vocês roubaram-me os meus sonhos e a minha infância com as vossas palavras vazias”, disse a ativista ambiental nas Nações Unidas durante a cimeira do clima, onde o presidente norte-americano não vai estar presente.

Rússia considera perigoso “excesso de confiança” dos EUA

Ministro russo da Defesa considerou que com o atual nível de informatização e automatização existe uma alta probabilidade de falhas nos sistemas de controle de armas pelo que o assunto de segurança informática adquire uma importância crescente.

Escalada das tensões políticas no centro do debate da Assembleia Geral da ONU

Secretário-geral da ONU, António Guterres, disse na semana passada que se está a assistir a uma escalada de tensões muito perigosa no Golfo Pérsico, tendo o Irão e Arábia Saudita como principais potências da região.
Recomendadas

Explosões em Beirute. Perto de 160 mortos e mais de 6 mil feridos

O ministério reviu em baixa o número de pessoas desaparecidas, indicando existirem 21, quando até agora tinha referido várias dezenas.

Mais de 60 pessoas continuam desaparecidas após a explosão em Beirute

Passaram quatro dias desde a explosão no porto de Beirute, no Líbano, que devastou a cidade e matou mais de 150 pessoas.

EUA. Serviços de inteligência revelam ameaças de interferência estrangeira nas eleições

O diretor dos serviços de inteligência dos EUA, Bill Evanina, manifestou hoje preocupação com as estratégias para a interferência nas eleições presidenciais por parte da China, Rússia e Irão.
Comentários