Trump levanta sanções da Turquia após falar com responsável das forças curdas

“Ele está muito grato pelo que os EUA fizeram e garantiu que o Estado Islâmico está bem fechada à chave”, referindo-se aos ex-combatentes do grupo extremista que estão prisioneiros.

Os Estados Unidos da América vão suspender as recentes sanções aplicadas à Turquia, avançou o presidente Donald Trump. Em causa estava a ofensiva contra os combatentes curdos no nordeste da Síria, noticia a BBC esta quarta-feira, 23 de outubro.

A decisão de Trump surge depois da Rússia e da Turquia concordarem um cessar-fogo ao longo da fronteira da Síria, estando as tropas russas já posicionadas. A ofensiva turca começou após o presidente norte-americano mandar retirar as tropas norte-americanos da Síria no início do mês.

“As sanções serão levantadas, a menos que aconteça algo com o qual não concordemos”, revelou o presidente Trump num comunicado da Casa Branca. A Turquia respondeu a Donald Trump e assumiu que tornava o cessar-fogo permanente caso os EUA mantivessem o acordo de cessar os combates.

Durante a conferência de imprensa na Casa Branca, Donald Trump assumiu que falou com o general Masloum, responsável máximo das forças curdas. “Ele está muito grato pelo que os EUA fizeram e garantiu que o Estado Islâmico está bem fechada à chave”, referindo-se aos ex-combatentes do grupo extremista que estão prisioneiros. “Um pequeno número deles conseguiu sair mas quase todos foram recapturados”.

O levantamento das sanções acontece no mesmo dia em que o enviado da administração Trump à Síria apresentou um relatório onde sustentava terem sido perpetuados crimes de guerra pelas forças turcas na Síria.

Ler mais
Relacionadas

EUA poderão manter alguns efetivos na Síria para proteger poços de petróleo

Os EUA planeiam deixar alguns efetivos no nordeste da Síria para proteger instalações petrolíferas e garantir o combate contra um possível ressurgimento do grupo extremista Estado Islâmico (EI), disse hoje o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper.

EUA e Turquia acordam cessar-fogo de cinco dias na Síria

O anúncio foi feito após as conversações que manteve, acompanhado pelo chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, com o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

“Não se arme em durão. Não seja tolo”. Carta de Trump para Erdogan está a levantar polémica

No documento, Donald Trump promete ainda ter garantias de que os militares curdos estão disponíveis para negociar e “fazer concessões” até agora nunca feitas.

Erdogan: Turquia está a fazer o que nenhum outro país quis fazer

O presidente turco escreveu um artigo de opinião onde acusa os países europeus de terem falhado na resolução do problema dos refugiados da guerra na Síria. E insiste que o melhor seriam apoiar os esforços de Ancara.
Recomendadas

Londres destrói um milhão de moedas comemorativas do Brexit

As moedas cunhadas para marcar o divórcio entre o Reino Unido e a União Europeia, que estava agendado para 31 de outubro, estão a ser derretidas porque Boris Johnson falhou o prazo. O custo da produção e destruição das moedas será suportado pelos contribuintes britânicos.

“Incorreto e inapropriado”. Assessor da Casa Branca critica telefonema de Trump ao homólogo ucraniano

Alexander Vindman, especialista sobre a Ucrânia do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, disse hoje que ficou “preocupado” enquanto tirava notas do telefonema entre Donald Trump e Zelensky, em 25 de julho – a chamada que está no centro do inquérito para a destituição do Presidente dos EUA, em que Trump é acusado de ter tentando pressionar o homólogo ucraniano a investigar Joe Biden, rival político do líder norte-americano.

E se o Ártico ficasse sem gelo? Pode acontecer em 2044

Tendo como base diversos fenómenos e os acontecimentos atuais, algumas previsões apontam que o mês de setembro em 2026 já não vai conseguir ter gelo, enquanto outras previsões apontam que o degelo total só deverá acontecer em 2132, a muitos anos de distância.
Comentários