Trump visita a Rússia em maio de 2020

O presidente russo convidou Donald Trump para estar presente nas comemorações da 75ª vitória da URSS sobre a Alemanha. O presidente, que estará em campanha nessa altura, diz que, em princípio, vai.

Vladimir Putin

O presidente russo, Vladimir Putin, disse esta quinta-feira que espera que seu homólogo norte-americano, Donald Trump, visite a Rússia para marcar o dia da vitória dos aliados na II Guerra Mundial, que se comemora a 9 de maio, O líder russo disse ainda, citado pela agência Reuters, que Moscovo está pronta para conversar com Washington sobre todos os assuntos qde interesse comum.

Putin disse que seria “certo” que Trump participará num evento comemorativo em Moscovo para marcar o 75º aniversário da vitória na II Guerra Mundial, mesmo numa altura em que o presidente dos Estados Unidos estará em campanha eleitoral pela reeleição.

Putin preside tradicionalmente uma parada anual em 9 de maio para comemorar a vitória da União Soviética sobre a Alemanha nazi e aproveita a ocasião para mostrar o equipamento militar do país.

As comemorações da vitória são especialmente importantes para a Rússia, tal como eram para a União Soviética, dado que a II Guerra é considerada um dos grandes acontecimentos do país – onde morreram mais de 20 milhões de russos.

Trump disse na semana passada que estava a considerar participar nos eventos comemorativos depois de receber um convite do Kremlin.

Recomendadas

Reino Unido. Recessão de 14% poderá aumentar dívida pública em 400 mil milhões de libras

Numa perspetiva mais pessimista, a recessão poderá variar entre os 12,4% e os 14,3%, enquanto que num cenário mais otimista a queda poderá situar-se nos 10,6% e a dívida em 263 mil milhões de libras.

Estudo: 5,4 milhões de americanos perderam o seguro de saúde entre fevereiro e maio

O estudo da defesa do consumidor das famílias norte-americanas indica que o aumento estimado de desempregados sem seguro durante este período foi superior em quase 40% do que o aumento anterior, que ocorreu durante a recessão de 2008 e 2009.

Comércio entre países lusófonos e a China cai 12% nos primeiros cinco meses do ano

O Brasil continua a ser de longe o país lusófono com o maior volume de trocas comerciais com a China, garantindo mais de 80% dos bens transacionados, seguindo-se Angola, Portugal, Moçambique, Timor-Leste, Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe.
Comentários