Trump vs China. Casa Branca deverá aprovar lei para proibir uso de equipamentos da Huawei

O presidente norte-americano deverá assinar esta semana um impedimento às empresas dos Estados Unidos de usarem equipamentos eletrónicos que possam comprometer a segurança nacional, segundo a Reuters.

O presidente norte-americano deverá assinar esta semana uma ordem executiva que impede as empresas dos Estados Unidos de usarem equipamentos de telecomunicações feitos por organizações que representem um risco para a segurança nacional.

À “Reuters”, três fontes oficiais do governo adiantaram que esta medida – que está em cima da mesa há mais de um ano – é uma porta aberta à proibição de fazer negócios com a chinesa Huawei. A agência noticiosa esclarece que, ainda assim, a norma não faz referência a países ou empresas específicas.

A ordem em causa, que está a ser preparada pelo Departamento de Comércio e outras agências do governo norte-americano, invoca a Lei dos Poderes Económicos Internacionais de Emergência, um diploma federal que foi promulgado a 28 de outubro de 1977 e que autoriza o presidente a regular o comércio em situações de emergência nacional, isto é, em resposta a qualquer ameaça incomum e extraordinária aos Estados Unidos por parte de estrangeiros.

Os Estados Unidos têm pressionado a comunidade internacional a não usar equipamentos da Huawei em redes 5G por considerarem “indignos de confiança”. Em agosto, Donald Trump assinou uma lei que barrou o próprio governo dos EUA de usar equipamentos da Huawei e da ZTE.

Numa altura de fricção entre as duas maiores potências mundiais por causa do aumento das taxas alfandegárias, a decisão de banir empresas internacionais pode gerar uma nova crise sino-americana e fazer escalar a guerra comercial.

Huawei prevê crescimento de dois dígitos no 5G, apesar das pressões de Trump

Respostas rápidas: Porque é que os EUA estão a apertar o cerco aos chineses da Huawei?

Ler mais
Recomendadas

“Garra Vimaranense” guia estratégia de captação de turismo

A estratégia apresentada pela Câmara Municipal de Guimarães concretiza-se através de três programas principais, 12 projetos e 48 subprojetos que envolverão toda a população vimaranense.

UTAO: Novo Banco atira défice para 0,8% do PIB no 1.º semestre

O valor estimado pela UTAO para o semestre fica aquém da meta do Governo para o conjunto do ano, de 0,2% do PIB, “sem, contudo, colocar em causa o seu cumprimento”, consideram os técnicos do parlamento.

BCP convoca assembleia de obrigacionistas para discutir fusão do BII

A assembleia geral de obrigacionistas realizar-se-à no dia 21 de outubro, pelas 9h00, no edifício 5 do Taguspark, onde se situam as instalações do banco. BCP garante que a fusão não terá impacto para os trabalhadores do BII e que a sua incorporação contabilística no banco liderado por Miguel Maya será considerada a partir do dia 1 de janeiro de 2019, se entretanto a operação for autorizada pelo Banco Central Europeu.
Comentários