TVDE entregaram 2,3 milhões de euros aos cofres do Estado em 2019

Dos cinco operadores de TVDE, a Uber foi a que mais dinheiro entregou para os cofres do Estado português. Ao todo, o Estado reclama 5% dos ganhos dos motoristas.

As plataformas de transporte privado de passageiros (TVDE)  pagaram 2,3 milhões de euros ao Estado em 2019. A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AML) divulgou publicamente as contribuições realizadas pelas plataformas de Transportes de Passageiros em Viaturas Ligeiras Descaracterizados (TVDE), após um pedido do partido PCP.

Os dados mostram as contribuições realizadas pela Uber, Bolt (ex-Taxify), Cabify, Kapten e It’s My Ride, a única que opera exclusivamente em Albufeira.

Dos cinco operadores de TVDE, a Uber foi a que mais dinheiro entregou para os cofres do Estado português. Ao todo, o Estado reclama 5% dos ganhos dos motoristas. Assim, a Uber entregou um total de 1.933.401,48 euros para os cofres, mostrando ser a que mais fatura no sistema de plataforma eletrónica.

Por sua vez, a Bolt ou antiga Taxify foi a segunda que mais dinheiro entregou. No seu todo, a empresa apontou ter entregue 277.755,93 euros aos cofres portugueses, sendo que a Kapten se colocou em terceiro lugar, por ter dado 75.142,18 euros ao Estado em 2019.

A Cabify entregou 19.942,43 euros ao Estado em contribuições, apesar de ter abandonado Portugal no fim do ano passado por dificuldade em atrair clientes e motoristas. A plataforma It’s My Ride foi a que menos dinheiro deu ao Estado, totalizando 338,61 euros.

Relacionadas

Bolt com mais orçamento para competir com a Uber. Bruxelas assina linha de crédito de 50 milhões

Para Alexander Stubb, vice-presidente do Banco Europeu de Investimento, a empresa da Estónia (ex-Taxify) “é um bom exemplo da excelência europeia em tecnologia e inovação”. O credor diz que o retorno financeiro do empréstimo é calculado como uma percentagem dos fluxos de receita futuros.

Empresas que não existiam há 10 anos e hoje são unicórnios

No ínicio da década as empresas que valem mais de mil milhões ganharam um nome de uma figura mitológica. O Instagram ou a Lyft ainda não existiam, mas hoje dão cartas nos setores em que se inserem. A Argo AI, por exemplo, conquistou a Volkswagen e a Ford.
Recomendadas

PremiumOrçamento de longo prazo da União Europeia continua num impasse

Líderes europeus discutem em Bruxelas a dotação de verbas do próximo quadro plurianual, mas ‘Amigos da Coesão’ e ‘contribuintes líquidos’ só concordam em discordar da proposta apresentada por Charles Michel.

Covid-19: Economia da China poderá retomar normalidade no segundo trimestre, diz diretora do FMI

Segundo a diretora-geral do FMI, em janeiro foi projetado “um crescimento global de 2,9%, no ano passado, para 3,3% neste ano. Desde então, o Covid-19 – uma emergência de saúde global – interrompeu as atividades [económicas] na China”.

ISV: Fisco ‘perde’ recurso por ausência de respostas ao Constitucional

Na origem deste recurso esteve um processo, que correu no Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD), movido por um contribuinte que reclamava da forma como foi aplicado o Imposto Sobre Veículos (ISV) num carro usado importado de outro país da União Europeia.
Comentários