UE/Presidência: Lisboa recebe conferência sobre planos de recuperação em abril

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, anunciou hoje que Lisboa receberá, em abril, no âmbito da presidência portuguesa da União Europeia (UE), uma cimeira acerca da execução dos planos de recuperação dos países do bloco.

Ministro de Estado e das Finanças, João Leão

“Vai ter lugar, aqui em Lisboa, uma grande conferência sobre a implementação dos planos de recuperação no mês de abril próximo”, disse hoje João Leão, numa conferência de imprensa, no Ministério das Finanças, ao lado do ministro francês da Economia, Finanças e Recuperação, Bruno Le Maire.

O encontro com os jornalistas decorreu após uma reunião entre os dois governantes, na qual, segundo João Leão, foram abordadas as prioridades da presidência portuguesa da União Europeia, contando o ministro português “com a forte colaboração do ministro das Finanças francês”.

“No encontro do Ecofin [grupo dos ministros das Finanças da UE], na passada terça-feira, teve lugar a passagem de testemunho da presidência alemã e da futura presidência portuguesa”, disse João Leão, tendo Portugal explanado então os seus objetivos para a presidência.

Segundo João Leão, “Portugal comprometeu-se a levar a cabo” temas já desenvolvidos pela Alemanha, como “a reforma da união bancária e a união dos mercados de capitais”, e também “a avançar decisivamente” com a “rápida implementação dos planos de recuperação europeus”.

Do lado francês, Bruno Le Maire disse que Portugal “pode contar com o governo francês” durante a presidência portuguesa da UE, que ocorre num “momento-chave” de viragem para os países do bloco comunitário após a pandemia de covid-19.

Portugal assume, de 01 de janeiro a 30 de junho, a sua quarta presidência do Conselho da UE.

Ler mais
Relacionadas

Ministro das Finanças espera que impacto das vacinas na economia seja rápido, mas alerta para “quadro muito incerto”

O Governo mantém inalterada a sua previsão de 5,4% de crescimento para a economia nacional em 2021.

Novo Banco. João Leão “satisfeito” se Marcelo não enviar OE 2021 para o Constitucional

O ministro das Finanças quer ter o Orçamento aprovado no início do ano para o país ter os “instrumentos necessários para combater a crise económica”, admitindo que o Governo pode vir por sua iniciativa pedir a fiscalização do travão à transferência de 476 milhões de euros para o Novo Banco. O ministro também avisou que se houver uma decisão em tribunal, a transferência terá de ser feita, sem necessidade de OR retificativo. Marcelo Rebelo de Sousa está inclinado em não enviar o OE para o Constitucional, como revelou hoje o Jornal Económico.
Recomendadas

EUA: Pedidos de subsídio de desemprego baixam ligeiramente esta semana

A pandemia de Covid-19 continua a condicionar fortemente a prestação da economia norte-americana, que mantém os valores de pedidos semanais de subsídios de desemprego perto do 1 milhão, muito acima do registado antes da doença chegar ao país.

Ambiente, imigração e igualdade racial. Joe Biden afasta-se de legado deixado por Donald Trump

Máscaras, distanciamento social, clima, imigração e economia. Estes são os principais focos de Joe Biden enquanto assume o seu novo lugar na Sala Oval para a presidência norte-americana.

Japão mantém expectativa de regresso a excedentes orçamentais no longo prazo

O Japão detém a maior dívida pública em função do PIB do mundo, com 223%, uma situação que coloca o país particularmente pressionado e vulnerável à incerteza causada pela pandemia de Covid-19.
Comentários