“Uma fraude”. Sócrates desmente Ricciardi sobre sugestão de investimento na EDP

O antigo primeiro-ministro considerou as declarações de José Maria Ricciardi nos autos do caso EDP como “uma fraude”. Sócrates salienta que “começa a ser particularmente obsceno a troca de favores entre o Ministério Público e o dr. Ricciardi”.

José Sócrates desmentiu “vigorosamente que alguma vez tenha sugerido ou incentivado seja quem for a investir na empresa EDP”. De acordo com o “Observador” publicou esta segunda-feira, 23 de dezembro.

Numa resposta por escrito enviada ao “Observador” o antigo primeiro ministro considerou as declarações de José Maria Ricciardi nos autos do caso EDP “como outras feitas ao longo dos últimos anos, são uma fraude”.

José Sócrates vai ainda mais longe e salienta que “começa a ser particularmente obsceno a troca de favores entre o Ministério Público e o dr. Ricciardi, já que um diz o que o outro quer ouvir, enquanto o segundo espera que do outro lado haja proteção em processos em que  esta envolvido”.

O antigo primeiro ministro português assume que um desses processos em que José Maria Ricciardi estará envolvido tem a ver “com a privatização da [empresa] REN – Redes Energéticas Nacionais e a sua relação — essa, sim, próxima — com o então primeiro ministro Passos Coelho”.

Recomendadas

Justiça suíça acusa presidente do PSG e antigo responsável da FIFA de gestão danosa

O Ministério Público da Suíça acusa Al-Khelaifi de incitar Valcke “a cometer crime agravado de gestão danosa”, enquanto o antigo dirigente do organismo que rege o futebol é suspeito de “vários crimes de gestão danosa agravada e falsificação de documentos”.
luís_menezes_leitão_bastonário_ordem_advogados

Bastonário desafia Ana Gomes a apresentar uma participação disciplinar sobre advogados que participem em esquemas de transferências para offshore

A ex-eurodeputada questionou sobre se a Ordem dos Advogados verifica se os escritórios dos advogados cumprem com o dever de recusarem a prestação de serviços sempre que suspeitarem de uma operação que vise a obtenção de resultados ilícitos. Luís Menezes Leitão vincou que “a Ordem não tem condições para analisar todos e quaisquer processos que ocorram no país para se saber se em algum deles deveria ter sido recusado o patrocínio”.

Tribunal de Contas refuta acusações de ministro do Ensino Superior sobre auditoria

O Tribunal de Contas (TdC) refutou esta quarta-feira as acusações do ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor, sobre a auditoria ao modelo de financiamento do setor, considerando-as inaceitáveis e infundadas.
Comentários