Unbabel eleita uma das empresas mais inovadoras do mundo pela Fast Company

Em setembro de 2019, a startup portuguesa fechou uma ronda de financiamento ‘Série C’ no montante de 60 milhões de dólares, liderada pela Point72 Ventures, juntamente com a e.ventures, Greycroft e com a Indico Capital Partners, elevando para 91 milhões de dólares o investimento total captado.

A startup de origem portuguesa Unbabel foi eleita como uma das empresas mais inovadoras do mundo em 2020 pela revista tecnológica norte-americana Fast Company – World’s Most Innovative Companies for 2020. A empresa ocupa o terceiro lugar da lista na categoria “Enterprise“, foi esta terça-feira anunciado, 10 de março.

“O ano passado foi completamente transformador para o negócio, com grandes avanços na tradução automática, adoção de produto e adoção por grandes  clientes”, salientou o presidente executivo da Unbabel, Vasco Pedro, citado em comunicado. Para Vasco Pedro, o reconhecimento significa “a validação” de uma “visão abrangente: disponibilizar o apoio centrado no cliente para todos os clientes em qualquer idioma”.

No final de 2019, a Unbabel foi eleita como a maior scaleup portuguesa em 2019 no ranking da aceleradora de startups BGI no relatório sobre o ecossistema português de empreendedorismo.

Em setembro de 2019, a empresa fechou uma ronda de financiamento ‘Série C’ no montante de 60 milhões de dólares, liderada pela Point72 Ventures, juntamente com a e.ventures, Greycroft e com a Indico Capital Partners, elevando para 91 milhões de dólares o investimento total captado.

Recomendadas

PSD e PS chumbam moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações

Além de ter sido chumbada a possibilidade de criar moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações, o PCP viu PS, PSD, CDS-PP e PAN travar a proposta de implementar “medidas de salvaguarda”, o que impediria as operadoras de cortar serviços durante o Estado de Emergência.

Covid-19: Airbus anuncia redução de um terço na produção de aviões

O construtor europeu de aviões Airbus anunciou esta quarta-feira que vai fazer uma redução de um terço no ritmo de produção, adaptando as suas capacidades à evolução do mercado mundial de aeronáutica face à pandemia de covid-19.

Chineses desistem de comprar o BNI Europa

O contexto de incerteza na economia global causada pela pandemia da Covid-19 levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. Negócio estava alinhavado desde dezembro de 2017.
Comentários