Uni Covid-19. Alunos do Politécnico de Castelo Branco, Técnico, UMadeira e IADE entre os vencedores

O prémio apoia iniciativas de jovens universitários com impacto social. As candidaturas para a 3ª fase decorrem até 8 de junho.

Alunos do Instituto Politécnico de Castelo Branco, do Instituto Superior Técnico, da Universidade da Madeira e do IADE-Universidade Europeia são os vencedores da segunda fase do Prémio Santander UNI.COVID-19, anunciou o banco esta quarta-feira, 3 de junho.

O projeto “ZELAR@CB – Zelar pelos idosos isolados em espaços rurais” tem a marca do Instituto Politécnico de Castelo Branco e será implementado por voluntários desta instituição de ensino superior. Trata-se de uma aplicação para monitorizar indicadores relacionados com as atividades diárias de idosos isolado. Objetivo? Alertar para qualquer modificação de hábitos, por exemplo, no consumo energético, ou na integração de detetores de quedas. O valor do prémio destina-se ao desenvolvimento e integração dos sistemas IoT e realização de testes piloto com idosos residentes nas zonas rurais de baixa densidade populacional do distrito de Castelo Branco.

“Com ânimo, sem pânico”, outro dos premiados, é uma plataforma digital desenvolvida por alunos universitários do Instituto Superior Técnico que realiza o ‘matching’ entre universitários voluntários e alunos de secundário que precisem de explicações ou de retirar dúvidas na preparação para os exames nacionais de entrada no ensino superior. Atualmente,  contam com 320 voluntários e garantem explicações em 18 disciplinas. O financiamento do Santander destina-se à compra de computadores e tablets para oferecer a uma instituição de jovens carenciados, de forma a permitir que estes tenham ferramentas de apoio ao estudo online.

“Menu19” é dinamizado por alunos da Universidade da Madeira. O projeto permitirá disponibilizar aos pequenos proprietários de negócios do setor da restauração uma plataforma tecnológica na qual colocam o menu online, que pode ser lido através de um código QR, para prevenir o contágio do Covid-19 nos restaurantes. Será inicialmente na Madeira, estendendo-se depois a nível nacional.

“Support Local Businesses Through Design” destina-se a apoiar novas soluções de design desenhadas por alunos universitários para serem implementadas em pequenos negócios locais nas áreas do turismo, restauração, cultura, recreio/praias, apoio às famílias e crianças, durante e no pós Covid-19. O projeto resulta de uma parceria entre o IADE-Universidade Europeia e a escola de design do Politecnico di Milano (POLIMI).

O prémio UNI.COVID-19, lançado pelo Banco Santander, tem como lema “Tira as tuas ideias de quarentena” e desenvolve-se em três fases. As candidaturas para a terceira e última decorrem até dia 8 de junho, podendo ser feitas no site das Bolsas Santander. Nas três fases, os prémios têm o valor total de 30.000 euros. Podem candidatar-se todas as iniciativas com impacto social realizadas por jovens universitários e outros membros da comunidade académica.

 

 

 

 

Recomendadas

Há 52.242 vagas para estudar no ensino superior em 2021/22. Áreas digitais crescem 3% face ao ano passado

A primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior arranca dia 6 de agosto e traz mais 385 vagas nos ciclos de estudo com maior concentração de melhores alunos, com exceção de Medicina. A candidatura é online no site da Direção-Geral do Ensino Superior.

Instituições de ensino e formação procuram combinação virtuosa entre presencial e online

Na mesa redonda do JE sobre Os Desafios da Formação em Portugal, esta sexta-feira, Manuel Fontaine, diretor da Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica, e Jorge Conde, presidente do Politécnico de Coimbra, revelam como estão a preparar o próximo ano letivo. Jorge Lopes, diretor da Rumos Formação, diz ter a expectativa de que as empresas portuguesas voltem a investir em formação e a Rumos está preparada para responder.

Da sala de aula para o ensino a distância: três exemplos de adaptação em tempo recorde

Jorge Conde, presidente do Politécnico de Coimbra, Jorge Lopes, Diretor da Rumos Formação, e Manuel Fontaine, Diretor da Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica, contam como as suas instituições enfrentaram e venceram a pandemia da Covid-19. Foi esta sexta-feira, 30 de julho, na mesa redonda Os Desafios da Formação em Portugal, promovida pelo Jornal Económico.
Comentários