União Europeia aumentou em 3% exportações agroalimentares no primeiro semestre apesar da pandemia

As exportações para a China aumentaram em comparação com o mesmo período do ano passado, principalmente devido à venda de carne de suíno, trigo, miudezas e alimentos para bebés.

O comércio agroalimentar da União Europeia (UE) a 27 contribuiu na primeira metade deste ano para o crescimento da economia comunitária, apesar do coronavírus e do Brexit.

Segundo o último relatório mensal sobre comércio agroalimentar publicado hoje, dia 16 de outubro, entre janeiro e junho de 2020, o valor total das exportações agroalimentares da UE-27 aumentou quase 3 % em comparação com o mesmo período de 2019, atingindo 90,2 mil milhões de euros, enquanto o valor das importações aumentou para 62,7 mil milhões de euros (um aumento de quase 2,5 %).

“A UE beneficiou de um excedente do comércio agroalimentar de 27,4 mil milhões de euros durante este período, um aumento de 5% em comparação com os meses correspondentes de 2019. Embora os valores mensais das exportações da UE-27 tenham sido retomados em junho, após uma diminuição em maio, as importações não pararam de diminuir desde março”, destaca um comunicado de Bruxelas.

De acordo com esse documento, “as exportações de produtos agroalimentares da UE continuaram a demonstrar um forte desempenho tanto para a China como para a região do Médio Oriente e do Norte de África”.

“As exportações para a China aumentaram em comparação com o mesmo período do ano passado, principalmente devido à venda de carne de suíno, trigo, miudezas e alimentos para bebés”, destaca o referido comunicado, acrescentando que, “na região do Médio Oriente e do Norte de África, o valor das exportações agroalimentares da UE aumentou nomeadamente na Arábia Saudita, na Argélia e em Marrocos”.

“Este crescimento foi impulsionado pela forte procura de cevada e trigo da UE”, explica o documento em causa.

Já “o valor das exportações da UE-27 para o Reino Unido diminuiu 521 milhões de euros no primeiro semestre de 2020, enquanto o valor das importações provenientes do Reino Unido diminuiu 863 milhões de euros”.

Ler mais

Recomendadas

Vindimas 2020: No Douro, ‘ano bissexto, ano travesso’

Amanhã, será dada voz aos produtores de Vinhos Verdes, no Minho. Casa de Vilacetinho, Quintas de Melgaço, Quinta do Ameal (da Herdade do Esporão) e Valados de Melgaço serão os protagonistas da região que lhe contam as peripécias desta campanha.

ViniPortugal coloca mais de 1.500 vinhos nacionais à venda em mais de 2.500 supermercados do Brasil

Portugal ocupa, desde 2016, a 2ª posição no ‘ranking’ de importação de vinhos no Brasil. No primeiro semestre de 2020, Portugal registou um crescimento de 16,8% no mercado brasileiro, com um aumento de 17,2% em volume e de 18,6% em valor. Estes valores deverão subir de forma significativa após esta parceria da ViniPortugal com a ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados.

Estados membros da União Europeia chegam a acordo sobre reforma da PAC – Política Agrícola Comum

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, participou nos dias 19 e 20 de outubro, no Luxemburgo, no Conselho de Ministros de Agricultura da União Europeia, em que se atingiu esse acordo de princípio.
Comentários