União Europeia vai entregar mais 200 milhões de doses para a Covid-19 aos países mais pobres

“A minha primeira prioridade é acelerar a vacinação nos países de baixos rendimentos. Posso anunciar hoje que a comissão vai acrescentar uma nova doação de mais 200 milhões de doses até meados do próximo ano”, disse von der Leyen, no discurso sobre o Estado da União Europeia.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, prometeu esta quarta-feira acelerar a taxa de vacinação para a Covid-19 em todo mundo, oferecendo 200 milhões de doses  aos países mais pobres até meados de 2022. A prioridade para Bruxelas é, assim, acelerar a vacinação da população mundial.

“A minha primeira prioridade é acelerar a vacinação nos países de baixo rendimento. Posso anunciar hoje que a comissão vai acrescentar uma nova doação de mais 200 milhões de doses até meados do próximo ano”, disse von der Leyen, no discurso sobre o Estado da União, que decorreu esta manhã.

As 200 milhões de doses prometidas hoje acrescem a outras 700 milhões de doses que a União Europeia (UE) já entregou a cerca de 130 países. Trata-se de uma aposta na saúde global que a presidente da Comissão Europeia qualificou ser “um investimento na solidariedade”.

“Com menos de 1% de doses a nível global distribuídas nos países em desenvolvimento, a escala de urgência é evidente. Esta é uma das grandes questões geopolíticas que se colocam nos nossos dias”, acrescentou.

Além disso, Bruxelas vai investir mil milhões de euros para desenvolver a capacidade de produção de vacinas com África.

Perante os eurodeputados, contudo, Ursula von der Leyen garantiu que a oferta das 200 milhões de doses não compromete os esforços de vacinação para travar o novo coronavírus na UE. Atualmente, Bruxelas regista 70% da população comunitária com a vacinação completa, sendo o aumento dessa percentagem a segunda prioridade de von der Leyen.

“Vemos divergências preocupantes entre os Estados-membros no que respeita às taxas de vacinação e por isso precisamos de manter o ímpeto”. Ursula von der Leyen assegurou que há mais 100 milhões de doses garantidas para distribuir por todos os estados-membros nos próximos meses.

Ao todo há 1,8 mil milhões de doses adicionais asseguradas, segundo Bruxelas. “O que é suficiente para nós e para a nossa vizinhança e ainda para se forem necessárias vacinas de reforço”, salientou von der Leyen.

A líder do executivo comunitário anunciou também uma verba de 50 mil milhões até 2027 para a preparação e resiliência sanitária na UE.

A presidente da Comissão Europeia proferiu esta quarta-feira o seu segundo discurso sobre o Estado da União Europeia, em que apresentou as prioridades para 2022, em áreas como a saúde, ambiente, economia e política externa, entre outras. Ursula Von der Leyen, que tomou posse em 1 de dezembro de 2019, fez o primeiro discurso deste género em 16 de setembro de 2020.

Relacionadas

Bruxelas quer rever regras orçamentais e chegar a acordo até 2023

“A comissão vai relançar o debate sobre a revisão da governação económica nas próximas semanas. O objetivo é chegar a um consenso sobre o caminho a seguir, bem a tempo de 2023”, afirmou Ursula von der Leyen no discurso sobre o Estado da União Europeia.

Comissão Europeia anuncia cimeira europeia de defesa em 2022

A presidente da Comissão Europeia anunciou esta quarta-feira que irá organizar, com o Presidente francês, Emmanuel Macron, uma cimeira de defesa em 2022, argumentando que é “necessário” a Europa desenvolver uma “União Europeia de defesa”.

Von der Leyen anuncia novo apoio humanitário de 100 milhões de euros para o Afeganistão

A presidente da Comissão Europeia proferiu esta quarta-feira o seu segundo discurso sobre o Estado da União Europeia, em que apresentou as prioridades para 2022, em áreas como a saúde, ambiente, economia e política externa, entre outras.
Recomendadas

PS está na “posição ingrata” em que “todos lhe batem”, diz António Costa

Segundo o líder socialista, “a realidade” é que, “em cada um dos concelhos, a escolha é sempre uma, ou é o PS e as coligações PSD/CDS-PP ou é o PS e a CDU”.

“Maquiavel para Principiantes”. “Em vez do cartão amarelo ao Governo, podemos ter cartão vermelho ao líder da oposição”

“Mais importante do que bazucas, metralhadoras, helicópteros ou outro tipo de arsenal, há mais pessoas a acreditar numa vitória do PS do que num triunfo do PSD. Nestas eleições faz-se sentir muitas vezes o cartão amarelo ao Governo mas o que parece é que se está a preparar um cartão vermelho ao líder da oposição”, realçou Rui Calafate na edição desta semana do podcast do JE.

Portugal tem 83% da população totalmente vacinada contra a Covid-19

DGS contabiliza mais de 8,8 milhões de pessoas (86%) no país com pelo menos uma dose.
Comentários