Vacina da Johnson & Johnson deve chegar aos norte-americanos no máximo em 48 horas

A Johnson & Johnson comprometeu-se em entregar quatro milhões de doses esta semana e 100 milhões de doses até junho, admitiu o CEO, Alex Gorsky.

Pavlo Gonchar–SOPA Images/LightRocket/Getty Images

Os cidadãos dos Estados Unidos devem receber a vacina da Johnson & Johnson (J&J) contra a Covid-19 nas próximas 24 a 48 horas, revelou o CEO da empresa esta segunda-feira à “NBC News”. A vacina desenvolvida pela farmacêutica será a terceira disponível no território norte-americano para imunizar a população.

A Johnson & Johnson comprometeu-se em entregar quatro milhões de doses esta semana e 100 milhões de doses até junho, admitiu o CEO Alex Gorsky. “Enquanto falamos, as vacinas estão a ser carregadas em camiões”, disse o CEO da J&J.

“Dentro das próximas 24 a 48 horas, os americanos devem começar a receber as suas vacinas”, sublinhou Alex Gorsky.

Além destes valores, a farmacêutica que apresentou uma vacina com 66% de eficácia com uma única injeção comprometeu-se ainda a enviar um total de mil milhões de doses da vacina até ao fim do ano. A Food and Drug Administration (FDA) aprovou esta vacina para uso de emergência na semana passada, indicando que esta é a mais fácil de armazenar, uma vez que pode ser guardada num frigorífico, em vez de em congeladores específicos a baixas temperaturas.

Atualmente, os Estados Unidos dispõem das vacinas da BioNTech/Pfizer e da Moderna, que são compostas por duas doses que devem ser utilizadas entre três ou quarto semanas de intervalos. Só ao fim da segunda dose é que a eficácia superior a 90% é alcançada.

Relacionadas

Regulador dos EUA autoriza vacina monodose da Johnson & Johnson

O comité consultivo de vacinas da autoridade do medicamento norte-americano (FDA), endossou já a autorização de emergência da vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson, de uma única dose, esperando-se agora que seja aprovada nas próximas horas para distribuição.

UE poderá autorizar vacina Johnson & Johnson até meados de março

Caso a Agência Europeia do Medicamento autorize a distribuição da vacina, esta será a quarta aprovada no bloco dos 27 estados-membros da União Europeia, juntando-se à Pfizer/BioNTech, AstraZeneca e Moderna.

Regulador norte-americano aprova vacina da Johnson & Johnson e garante que é eficaz e segura

As análises à vacina apresentam uma taxa de eficácia de 86% contra a variante que circula nos Estados Unidos, 87,6% na variante do Brasil e de 82% contra a variante sul-africana

Johnson & Johnson pede autorização de emergência à OMS para usar vacina contra a Covid-19

O pedido para ser incluído na lista de uso de emergência é um pré-requisito para que a farmacêutica consiga fornecer vacinas no programa da Organização Mundial de Saúde, que pretende distribuir doses em países pobres e de rendimentos médios.

Portugal recebe primeiras vacinas da Janssen no segundo trimestre 

Segundo o Infarmed, o novo fármaco da farmacêutica da Johnson & Johnson, de toma única, entra agora na fase final de avaliação e, “se tudo correr bem” com a avaliação da sua segurança e eficácia, prevê-se que esteja aprovado no próximo mês.

Agência Europeia do Medicamento recebeu pedido da J&J para utilização da vacina na UE

O regulador do medicamento da União Europeia informou esta terça-feira que recebeu um pedido de autorização condicional de comercialização para uma vacina Covid-19 desenvolvida pela Janssen-Cilag International. O parecer deverá ser emitido em meados de março.
Recomendadas

“Vacinação? Portugueses em idade ativa são quem mostra mais resistência”, realça diretora da ENSP

Um em cada quatro portugueses em idade ativa mostra resistência à vacina, conclui barómetro da Escola Nacional de Saúde Pública. Embora os dados sugiram “alguma preocupação”, Carla Nunes, diretora da ENSP, frisa em entrevista à JE TV que os valores não são “suficientemente graves para pôr em causa a execução do plano de vacinação”.

Comissão Europeia aprova ajuda intercalar de 462 milhões de euros à TAP

Bruxelas considera que a medida de apoio portuguesa à companhia aérea nacional, para compensar a empresa pelos prejuízos sofridos devido à pandemia está “em conformidade” com as regras da União Europeia.

Números das saídas da TAP dados por Miguel Frasquilho “pecam por defeito”, acusa sindicato

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) acusou esta sexta-feira o presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, de “iludir” a realidade, numa entrevista à TVI24.
Comentários