Vacinas doadas por Portugal permitem manter vacinação em Cabo Verde

“Vai ter uma grande importância no nosso processo de vacinação”, afirmou o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, no aeroporto da Praia, após a descarga de um lote de vacinas da AstraZeneca, doado por Portugal e transportado num avião da TAP.

Inforpress

O primeiro-ministro cabo-verdiano agradeceu este sábado, 15 de maio, a Portugal a doação de 24.000 doses de vacinas contra a Covid-19, assumindo que permitirá manter o processo de vacinação e atingir a meta de 70% da população imunizada este ano, refere a agência Lusa.

“Agradecer ao Governo português por este gesto, num momento em que a vacina é um bem raro, que todos os países estão à procura do mesmo. Vai ter uma grande importância no nosso processo de vacinação”, destacou o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, em declarações aos jornalistas no aeroporto da Praia, após a descarga deste lote de vacinas da AstraZeneca, doado por Portugal e transportado num avião da TAP.

O chefe do Governo cabo-verdiano disse que a doação vai permitir “evitar que haja descontinuidade” no processo de vacinação contra a covid-19 em curso no arquipélago desde 19 de março, “mantendo” o compromisso de imunizar 70% da população até final do ano.

“As vacinas salvam vidas e salvam a economia. E precisamos de ter boas parcerias para que isso possa ser conseguido. E este gesto de Portugal é de facto de ter em conta como algo muito importante”, sublinhou Ulisses Correia e Silva.

Destacou igualmente que Portugal é “um bom parceiro” de Cabo Verde, acrescentando que além do apoio já concretizado, uma equipa médica é esperada nos próximos dias no arquipélago, para reforçar os cuidados de saúde, face ao aumento de casos de covid-19 nas últimas semanas.

Cabo Verde recebeu 24.000 doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca em 12 de março e 5.850 da Pfizer dois dias depois, no âmbito do mecanismo Covax, iniciativa fundada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que visa garantir uma vacinação equitativa contra o novo coronavírus.

Desde 19 de março, o arquipélago já vacinou cerca de 15.900 pessoas com pelo menos a primeira dose das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, dos quais 94% são profissionais de saúde.

Através do mecanismo Covax, segundo Ulisses Correia e Silva, Cabo Verde espera receber mais 80.000 doses de vacinas contra a covid-19, embora ainda não haja datas definidas para essa entrega.

“Estamos também em contacto com o Governo dos Estados Unidos da América, estamos em contacto com outros parceiros bilaterais para ver se conseguimos ter as vacinas necessárias para atingirmos a meta que nós definimos”, disse ainda.

A entrega concretizada hoje por Portugal a Cabo Verde insere-se no compromisso assumido pelo Governo português, de disponibilizar aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste 5% de vacinas contra a covid-19 que adquirisse.

“Esta é a primeira entrega que fazemos no âmbito desse compromisso que foi assumido e que cumprimos agora com grande prazer”, disse aos jornalistas, também no aeroporto da Praia, o embaixador de Portugal em Cabo Verde, António Albuquerque Moniz.

O diplomata recordou que no âmbito deste compromisso, Cabo Verde recebeu a primeira entrega, antecipada pelo Governo português devido à evolução da pandemia no arquipélago, e assumiu que é objetivo “disponibilizar mais vacinas”.

“É o primeiro lote. Virão com certeza mais umas boas dezenas de milhar de vacinas”, afirmou.

“O que esteve na mente das autoridades em Portugal foi precisamente a população cabo-verdiana e o gesto de solidariedade”, disse ainda António Albuquerque Moniz.

Cabo Verde regista hoje 2.866 casos ativos de covid-19, com um acumulado de 27.672 infetados, 24.546 recuperações e 244 mortes por complicações associadas à doença desde 19 de março de 2020.

As vacinas doadas por Portugal foram acompanhadas do material necessário para viabilizar a sua administração, como seringas e agulhas, numa ação que resulta “do esforço conjunto”, segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros português, do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e da embaixada de Portugal na Cidade da Praia, e do Ministério da Saúde, através da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed).

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.333.603 mortos no mundo, resultantes de mais de 160,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendadas

Empresária Tchizé dos Santos “triste” com fim do Vida TV e ambiciona novo canal no mercado português

O canal comunicou a decisão aos seus colaboradores de que vai fechar portas em 31 de julho, deixando no desemprego mais de 300 profissionais, na sequência da rescisão do contrato com a DSTv.

Cimeira da CPLP em Luanda vai realizar-se de forma presencial

Angola assumirá oficialmente a presidência da CPLP durante a cimeira de chefes de Estado e de Governo agendada para 16 e 17 de julho, em Luanda, sucedendo a Cabo Verde, que teve o seu mandato prolongado por mais um ano devido à pandemia da covid-19.

Instituições financeiras mundiais prometem 66 mil milhões para África até 2025

Além das DFI dos países do G7, também o BAD, o Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento e o BEI fazem parte deste grupo de entidades financeiras cuja principal vocação é financiar projetos que conduzam ao desenvolvimento dos países onde são lançados.
Comentários