Vacinas e novo pacote de estímulos animam Wall Street

A nível económico, o destaque do dia vai para um novo possível pacote de estímulos nos Estados Unidos, de 908 mil milhões de dólares proposto pelo Congresso.

Lucas Jackson/Reuters

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque encerraram esta terça-feira em alta, prolongando a tendência que se registou na abertura da negociação. O sentimento do mercado foi impulsionado pela vacina contra o novo coronavírus e por um possível novo pacote de estímulos económicos nos Estados Unidos.

O industrial Dow Jones avançou 0,63%, para 29.823,92 pontos; o S&P 500 ganhou 1,08%, para 3.660,91 pontos; e o tecnológico Nasdaq ganhou 1,28%, para 12.355,11 pontos.

Sobre a vacina, a entidade europeia, a Agência Europeia do Medicamento (da sigla inglesa, EMA), anunciou que poderá acabar a avaliação à vacina da Pfizer/BioNTech no dia 29 de dezembro, e a da Moderna no dia 12 de janeiro de 2021.

Em face destas notícias, as ações da Pfizer subiram 3%, enquanto as da Moderna e da BioNTech caíram 12% e 10%, respectivamente.

A nível económico, o destaque do dia vai para um novo possível pacote de estímulos nos Estados Unidos, de 908 mil milhões de dólares proposto pelo Congresso. A speaker do câmara baixa do Congresso, Nancy Pelosi, e o secretário de Estado do Tesouro, Steven Mnuchin, deverão retomar as negociações sobre o pacote de estímulos.

Nas empresas, destaque para a queda de 15% da Zoom Video Communications, que comercializa a plataforma de video conferências, Zoom. As ações foram penalizadas porque, apesar de a empresa ter registado resultados acima do esperado, alertou que o último trimestre do ano poderá ser agitado.

A empresa de serviços financeiros RBC cortou o preço alvo da ação da Zoom de 600 dólares para 550 dólares.

Nas matérias-primas, o barril de Brent perde 1,09%, para 47,36 dólares e, nos Estados Unidos, o WTI cede 1,74%, para 44,55 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Wall Street entra em dezembro em alta

As ações da Moderna, da Pfizer e da Tesla prolongam a tendência de ganhos no início da sessão em Wall Street.

NYSE fecha em queda mas Dow subiu 11,8% em novembro

Quedas em Wall Street que não afogam a festa: o Dow Jones fecha o seu melhor mês desde 1987. O petróleo cai. Os mercados petrolíferos mundiais esperam que OPEP e Rússia concordem, até esta terça-feira, em adiar o aumento da oferta de petróleo, prevista para janeiro, devido ao abrandamento do consumo provocado pela segunda vaga da Covid-19.
Recomendadas

Wall Street encerra no verde em dia de tomada de posse do novo presidente dos EUA

A tendência de ganhos em Wall Street prossegue no dia de tomada de posse do novo presidente dos EUA, Joe Biden.

Bolsa de Lisboa é a única que cai na Europa

As valorizações da EDP Renováveis e da Galp de mais de 1% não evitaram a queda do índice lisboeta. Europa fecha no verde.

Wall Street abre em alta no dia da tomada de posse de Biden

Resultados da banca acima do esperado e sinal de que Joe Biden vai estimular a economia norte-americana está a animar a bolsa de Nova Iorque.
Comentários