“Vai acontecer outra vez”, garante comité independente da OMS para avaliar pandemia

Após ter sido nomeada, a antiga primeira-ministra apontou que o mundo deve enfrentar as futuras crises económicas, sociais e políticas com os “pés assentes na terra”.

Organização Mundial de Saúde

A antiga primeira-ministra da Nova Zelândia, Helen Clark, é uma das caras que pertence ao comité recém-criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para avaliar a resposta à pandemia. Apesar da incógnita de um novo surto ou quando este irá chegar, Clark admite que esta “vai acontecer outra vez”, sendo apenas uma questão temporal, avança a “Reuters”.

Após ter sido nomeada, a antiga primeira-ministra apontou que o mundo deve enfrentar as futuras crises económicas, sociais e políticas com os “pés assentes na terra”.

Na quinta-feira, 9 de julho, a OMS anunciou que Clark e que a ex-presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, vão liderar o painel que pretende examinar a resposta mundial à pandemia da Covid-19 e perceber a origem dos surtos que têm surgido. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus disse que as escolhidas são “líderes independentes e de espírito forte”, destacando a liberdade do comité perante a agência e governos.

Após aceitar a posição, Helen Clark assumiu que o trabalho era “excepcionalmente desafiante”. Em 17 anos, o novo coronavírus foi a sexta vez que a OMS teve de declarar emergência pública mundial, sendo esta a primeira vez que é designado um comité separado da organização, cujo objetivo é ouvir especialistas.

Recomendadas

Reino Unido regista oito mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

O Reino Unido registou oito mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, em comparação com 55 do período anterior, elevando para um total de 46.574 as mortes devido à doença desde o início da pandemia, anunciou hoje o governo britânico.

Covid-19: Itália regista 463 novos casos e dois óbitos nas últimas 24 horas

Itália registou nas últimas 24 horas 463 novos casos de covid-19, e mais duas mortes associadas à doença, um dos números mais baixos de toda a crise pandémica, indicou hoje o Ministério da Saúde italiano.

Covid-19: Mais de 727 mil mortos e 19,6 milhões de infetados em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus causou pelo menos 727.288 mortos em todo o mundo desde o aparecimento da doença na China em dezembro, segundo o balanço hoje às 11:00 TMG (12:00 em Lisboa) da agência France-Presse.
Comentários