“Vamos lutar até ao fim”. Ainda há seis casas do prédio Coutinho ocupadas

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga pode, a qualquer momento, pronunciar-se sobre a última providência cautelar para tentar travar o despejo.

Arménio Belo/Lusa

Há proprietários de seis frações do prédio Coutinho, em Viana do Castelo, que continuam nos apartamentos. Os últimos moradores deste edifício recusaram-se a entregar as chaves voluntariamente à VianaPolis e esperam pela decisão dos tribunais, revela o “Jornal de Notícias” (JN) na edição desta quarta-feira.

“O nosso estado de espírito é basicamente o mesmo: lutar até ao fim, até que os tribunais nos deem ou nos tirem razão (…). Estávamos hoje os mesmos que estávamos. Ninguém fala em sair e todos estamos à espera dos acontecimentos que vierem. Vamos dar tempo”, afirma ao JN Maria José da Ponte.

De acordo com o mesmo jornal, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga pode, a qualquer momento, pronunciar-se sobre a última providência cautelar para tentar travar o despejo, que deu entrada no passado mês de junho.

Pouco depois, a 5 de julho, o ministro do Ambiente disse que os últimos moradores no prédio Coutinho iriam ser processados pelos custos causados ao Estado com o adiar da desconstrução do edifício, ainda a aguardar decisão judicial.

“Estamos a fazer a conta de quanto é que está a custar à sociedade VianaPolis desde outubro de 2016. Não poderemos deixar de interpor uma ação judicial para sermos ressarcidos do custo que estamos a ter com a manutenção da sociedade VianaPolis”, afirmou João Pedro Matos Fernandes, citado pela Lusa.

A sociedade VianaPolis é detida em 60% pelo Estado e em 40% pela Câmara de Viana do Castelo.

Ler mais
Relacionadas

Primeira Lei de Bases da Habitação entra em vigor a 1 de outubro

A lei resulta de meses de trabalhos, reuniões e audições parlamentares e foi promulgada pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que manifestou “dúvidas” quanto à “concretização das elevadas expectativas suscitadas”. Diploma estabelece que “todos têm direito, para si e para a sua família, a uma habitação de dimensão adequada, em condições de higiene e conforto e que preserve a intimidade pessoal e a privacidade familiar”.

Coutinho, símbolo de resistência em Portugal

O edifício Jardim, localmente conhecido como prédio Coutinho, tem a sua desconstrução prevista desde 2000, ao abrigo do programa Polis. No entanto, a batalha judicial iniciada pelos moradores tem travado este projeto até à exaustão.
Recomendadas

Academia de Alcochete: Bruno de Carvalho e mais 43 arguidos começam hoje a ser julgados

O tribunal de Monsanto irá receber até abril de 2020 três sessões por semana, exceto em janeiro, mês em que haverá duas sessões semanais. O antigo presidente do Sporting Clube de Portugal responde por mais de 100 crimes.

Tribunal brasileiro anula sentença de juíza acusada de cópia, decisão pode favorecer Lula da Silva

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) anulou uma decisão da juíza Gabriela Hardt, alegando cópia de uma sentença, decisão que poderá favorecer o ex-Presidente brasileiro Lula da Silva, condenado noutro caso pela mesma magistrada.

Justiça e Banco de Portugal avaliam benefícios da comunicação eletrónica com tribunais

Protocolo celebrado entre IGFEJ e BdP permitirá que as cerca de 50 mil notificações anuais, que anteriormente eram feitas em carta por via postal, entre os tribunais e o Banco de Portugal passarão agora a ser feitas por via eletrónica.
Comentários