Vanguard Properties e Paulo Guilherme compram imóvel à Gesfimo e investem 18 milhões na recuperação

A Gesfimo, na qualidade de sociedade gestora do Fundo Invesfundo IV, representou o vendedor, tendo a escritura de compra e venda sido celebrada em dezembro de 2017. A transação, tem como parceiro financiador o Novo Banco tendo o comprador sido assessorado pela Vieira de Almeida & Associados.

A Vanguard Properties e Paulo Guilherme vão investir 18 milhões de euros na recuperação de um imóvel na Rua Tomás Ribeiro em Lisboa, que pertenceu à gestora de fundos de investimento imobiliário que pertenceu ao Grupo Espírito Santo.

O vendedor do imóvel é aliás o Invesfundo IV Fundo de Investimento Imobiliário Fechado gerido pela Gesfimo – Espírito Santo, Irmãos, Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário.

A Gesfimo, na qualidade de sociedade gestora do Fundo Invesfundo IV, representou o vendedor, tendo a escritura de compra e venda sido celebrada em Dezembro de 2017. A transação, tem como parceiro financiador o Novo Banco tendo o comprador sido assessorado pela Vieira de Almeida & Associados.

O investimento imobiliário de 18 milhões feito pela Vanguard Properties é para converter o imóvel na Tomás Ribeiro 79 em Lisboa num projeto residencial.

“Para desenvolver este projeto, a Vanguard Properties, o empresário Paulo Guilherme e filhos através de empresa conjunta, compraram ao Invesfundo IV Fundo de Investimento Imobiliário Fechado, o imóvel onde irão investir cerca de 18 milhõe de Euros”, diz a empresa.

“O moderno edifício residencial contará com 24 apartamentos e 50 lugares de estacionamento, em cave”, adiantam em comunicado.

O Pedido de Informação Prévia foi recentemente deferido (aceite) pela Câmara Municipal de Lisboa (em maio de 2018) e encontra-se em fase de conclusão o respetivo projeto de arquitetura.

O projeto arquitetónico é da responsabilidade da equipa de projetistas da Saraiva + Associados. “O projeto apresenta uma arquitetura contemporânea desenvolvida com acabamentos de qualidade, coexistindo neste edifício a modernidade e a conveniência no centro da cidade”, diz a empresa.

A Vanguard Properties diz que o edifício vai ser “projetado para uma vida cosmopolita”, beneficiando para isso de ficar próximo do Marquês de Pombal e do El Corte Inglês, e “vai inclui um SPA e piscina e um excelente estacionamento distribuído por dois pisos”, adiantam.

“A Vanguard Properties e o empresário Paulo Guilherme e filhos vão investir 18 milhões de euros no desenvolvimento de um edifício residencial moderno e adaptado às exigências da vida urbana”, reforça a sociedade em comunicado.

 

Segundo José Cardoso Botelho, Managing Director da Vanguard Properties: “O projeto Tomás Ribeiro 79 é um empreendimento de elevada qualidade arquitetónica, implantado numa artéria em acelerada reabilitação, beneficiando de uma excelente oferta de serviços, comércio, na proximidade de alguns dos maiores edifícios de escritórios e hotéis. Prevemos o lançamento comercial do projeto durante o terceiro trimestre de 2018.”

A Vanguard Properties apresenta-se como um dos maiores promotores nacionais de projetos residenciais, fundado por Claude Berda em associação com José Cardoso Botelho, “ambos com experiência relevante nos segmentos de yield e promoção”, lê-se na nota.

Atualmente envolvido em vários projetos residenciais e turísticos em Lisboa, no Algarve e na Comporta, a Vanguard Properties regista atualmente um volume de investimento superior a 680 milhões de euros.

Em 2018, a sociedade pretende continuar a sua estratégia de expansão, “acrescentando a cidade do Porto e outras localizações ao seu portefólio”.

“O grupo imobiliário, focado em plataformas inovadoras e investimentos diferenciadores e de elevada qualidade, trabalha todas as fases do projeto desde a prospeção e escolha de oportunidades de investimento até a venda de ativos imobiliários, diretamente ou através de parceiros”, diz a empresa.

Para isso a Vanguard Properties dispõe de uma equipa de doze quadros dedicados, em exclusivo, ao desenvolvimento dos seus projetos.

Ler mais
Recomendadas

Sonae Sierra poupou 25 milhões em 2018 com gestão sustentável

A empresa gestora de centros comerciais diz ter cumprido no ano passado 86% dos seus objetivos de sustentabilidade.

Câmara de Lisboa discute Regulamento Municipal do Alojamento Local na sexta-feira

De acordo com o regulamento, ao qual a agência Lusa teve acesso, são consideradas áreas de contenção absoluta “as zonas turísticas homogéneas que apresentem um rácio entre estabelecimentos de alojamento local e número de fogos de habitação permanente que seja superior a 20%”.

Preço das habitações já recuperaram impacto de 10 anos de inflação

O preço de venda das casas em Portugal aumentou 15,4% em dezembro de 2018, face a igual mês do ano anterior. No ano passado a subida dos preços das casas acabou por recuperar o efeito da inflação sentida desde 2008.
Comentários