Vanguard Properties investe 80 milhões de euros para construir um dos edifícios mais altos de Lisboa

O edifício Infinity será um dos maiores da capital portuguesa e vai começar a ser construído em outubro. O novo empreendimento ficará localizado na zona de Campolide e terá 26 pisos.

A Vanguard Properties, um grupo português de investimento imobiliário liderado por um Family Office (estrutura que oferece assessoria a famílias com património considerável), irá investir 80 milhões de euros na construção da Infinity, aquele que será um dos edifícios mais altos da cidade de Lisboa.

O novo empreendimento ficará localizado na zona de Campolide. Com 80 metros de altura, 26 pisos acima do solo e composto por 195 apartamentos com tipologias de T0 e T5 Duplex, ocupará uma área de construção de 50,000 m2. O arranque das obras está marcado para outubro de 2018 e a conclusão em outubro de 2020.

José Cardoso Botelho, managing director da Vanguard Properties, diz que “este projeto será um marco na paisagem de Lisboa devido à dimensão, localização, e linhas arquitetónicas. A maioria dos pisos terá uma vista sobre o Aqueduto, Monsanto e o Tejo”.

Recomendadas

Do “Cartão Vermelho” ao “Fora de Jogo”: como combater as ilegalidades do futebol português? Veja o “Jogo Económico”

Acompanhe o “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Presidente da República diz que Alemanha e Volkswagen prometeram e cumpriram com Portugal

“A Autoeuropa correu bem porque, em primeiro lugar – como já disse o senhor primeiro-ministro -, nós mostrámos que éramos capazes de fazer bem feito”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, salientando que os portugueses também demonstraram ser capazes de ser consistentes na produção de qualidade, capacidade de resiliência e de inovação.

Portuguesa Blue Oasis Technology foi uma das startups vencedoras do programa das fundações Oceano Azul e Calouste Gulbenkian

A empresa, com menos de um ano de vida, desenha, constrói e instala “recifes” artificiais que permitem a, recuperação de ecossistemas marinhos danificados e a reversão do declínio da biodiversidade do oceano. Noruegueses da Tekslo Seafood e argentinos da FeedVax também se destacaram.
Comentários