Veja aqui os números do “choque” que o Banco de Portugal prevê para a economia este ano

Recessão de até 5,7%, tombo de quase 20% nas exportações, subida da taxa de desemprego para 11,7%. O cenário mais adverso pintado para a economia portuguesa este ano pelo Banco de Portugal é assustador, mas o cenário base também não é animador. Veja aqui os números projetados pelo banco central.

Projeções do Banco de Portugal (taxa de variação anual, em percentagem):

Cenário base para 2020 (%)Cenário adverso para 2020 (%) Boletim anterior (%, para 2020)*Valor registado em 2019 (%)
Produto Interno Bruto-3,7-5,71,72,2
Consumo privado-2.8-4,82,12,3
Consumo público2,13,00,80,8
FBCF**-10,8-14,95,46,4
Procura interna-3,6-5,52,62,8
Exportações-12,1-19,12,63,7
Importações-11,9-18,74,65,2
Emprego-3,5-5,20,80,8
Taxa de desemprego10,111,75,96,5

Fonte: Boletim Económico do Banco de Portugal, publicado a 26 de março de 2020

*Projeções no Boletim Económico de Dezembro

**FBCF: Formação Bruta de Capital Fixo

Relacionadas

Banco de Portugal prevê recessão de 5,7% em 2020 no cenário mais adverso

A incerteza devido ao Covid-19 é tão complexa que o banco central não pôde apresentar um único cenário mais provável, mas um de base com uma recessão de 3,7% e outro mais adverso com um tombo de 5,7% no PIB este ano. Alertou ainda que “atendendo às condições de partida e à incerteza que envolve a crise em curso, não podem ser excluídos cenários ainda mais adversos”.
Recomendadas

Diretores de jornais e revistas lançam apelo: diga não à pirataria

Numa iniciativa inédita, os diretores dos principais jornais e revistas de Portugal juntaram-se num apelo conjunto aos leitores para que digam não à pirataria. O jornalismo de qualidade só será viável se tiver o apoio dos seus leitores.

Mais de 80% dos pacientes infetados com Covid-19 estão a recuperar em casa

Segundo os dados hoje divulgados, existem 1.124 profissionais de saúde infetados pelo novo coronavírus (Covid-19) em Portugal.

Recorde. 10 milhões de norte-americanos perderam o seu emprego em duas semanas

Número semanal de pedidos de desemprego bate um recorde pela segunda semana consecutiva, atingindo os 6,6 milhões de trabalhadores. Em duas semanas, 10 milhões de norte-americanos perderam o seu emprego devido à pandemia da Covid-19.
Comentários