Venda da Frulact ao fundo Ardian terá envolvido montante superior a 150 milhões de euros

A transação foi assessorada pela Optimal Investments. A Frulact gere oito fábricas espalhadas por cinco países: Portugal, França, Marrocos, África do Sul e Canadá e tem um volume de negócios anual na ordem dos 115 milhões de euros.

A venda da empresa portuguesa, liderada pela família Miranda, ao fundo de investimento francês Ardian terá envolvido um montante superior a 150 milhões de euros, incluindo dívida, apurou o Jornal Económico. No entanto, as empresas envolvidas não avançam, nem confirmam, os valores da operação.

“A ‘private equity’ Ardian anunciou a assinatura do acordo para a compra de 100% da Frulact, a empresa portuguesa dedicada ao fornecimento de ingredientes de valor acrescentado para as indústrias alimentares e de bebidas, numa transação assessorada pela Optimal Investments por um valor não divulgado”, admite um comunicado da assessora financeira desta operação.

Este comunicado realça que a Frulact, fundada em 1987, “é uma das maiores produtoras de preparados de frutas e vegetais do mundo com oito fábricas espalhadas por cinco países diferentes como Portugal, França, Marrocos, África do Sul e Canadá”.

Por seu turno, “a Ardian é uma empresa de ‘private equity’ com sede em França e cerca de 96 mil milhões de dólares de ativos sob gestão [cerca de 86,5 mil milhões de euros segundo o câmbio atual].

“A empresa já tinha investido em Portugal, através doutro fundo, aquando da compra da operadora rodoviária, Ascendi”, recordam os responsáveis da Optimal Investments.

Já a Ardian e a Frulact recusam avançar valores sobre a venda da empresa. “Por se tratar de uma transação privada, os números envolvidos não são divulgados. No entanto, tanto a Ardian como a Frulact podem confirmar que o rumor que está a ser difundido nos media sobre o valor da transação está incorreto”.

Esta transação foi assessorada pela equipa da Optimal Investments liderada pelo ‘partner’ Luís Paulo Tenente, “naquela que é mais uma transação emblemática para a empresa fundada por Jorge Tomé, Luís Paulo Tenente e José Maria Ricciardi”, de acordo com comunicado.

“Com esta transação, a Optimal Investments começa 2020 de forma muito positiva depois de um 2019 muito prolífico que envolveu inúmeros serviços de assessoria financeira, designadamente em transações nos diferentes negócios a banca de investimento, nos segmentos de M&A (‘mergers and acquisitions’, isto é, fusões e aquisições), MBO (Management Buyout), Fixed Income e de Assessoria em ‘Project Finance'”, segundo a Optimal.

  • Notícia atualizada às 11h27 de 16 de janeiro com a declaração da Ardian e da Frulact.
Ler mais
Relacionadas

Família Miranda vende Frulact ao fundo de investimento francês Ardian

Ardian considera que é a melhor parceira para identificar e promover oportunidades de crescimento que permitam transformar a Frulact num líder global no setor das frutas.
Recomendadas

CAP vai avaliar consequências das cheias no Mondego

A nova PAC -Política Agrícola Comum, o OE – Orçamento de Estado 2020, e as linhas da futura presidência portuguesa da União Europeia são outros temas em cima da mesa nos conselhos consultivos da CAP, a decorrerem várias regiões do país até ao final de fevereiro.

Vinhos certificados do Tejo cresceram 72% em 2019

No ano passado, há a destacar o incremento das exportações dos vinhos do Tejo, nomeadamente para o Brasil, seguido da Polónia, Inglaterra, Alemanha e China, assim como o progressivo interesse demonstrado por parte do consumidor nacional.

Agrocluster quer mais estratégia digital no setor

O setor agroalimentar não se detém, tradicionalmente, sobre a área digital. Mas o Agrocluster quer acabar com esta divergência e vai promover iniciativas que permitam uma aproximação entre o digital e a agricultura.
Comentários