Venda de barragens da EDP: Cuatrecasas e Morais Leitão foram alvo de buscas

Nenhum advogado dos dois escritórios foi constituído arguido.

As sociedades de advogados Morais Leitão e Cuatrecasas também foram esta terça-feira alvo de buscas por causa do negócio da venda de barragens da EDP ao consórcio francês, uma operação que o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) estão a investigar.

Nenhum advogado dos dois escritórios foi constituído arguido, avança a notícia do jornal online “Eco“.

O Ministério Público e o fisco realizaram fizeram hoje buscas em onze locais do país no âmbito dessa investigação, nomeadamente em Lisboa, no Porto, na Amadora e em Miranda do Douro.

Em causa estão factos relacionados com o negócio da transmissão de seis barragens do grupo EDP para o consórcio francês integrado pela Engie, Crédit Agricole Assurances e Mirova (Grupo Natixis), estando em causa suspeitas da prática de crime de fraude fiscal.

Na operação intervieram 29 inspetores da Unidade dos Grandes Contribuintes (UGC), 37 inspetores da Direção de Serviços de Investigação da Fraude e de Ações Especiais (DSIFAE), dez especialistas do núcleo de informática forense, 28 militares da Unidade de Ação Fiscal da Guarda Nacional Republicana (GNR), incluindo dois especialistas em informática forense.

Recomendadas

Cuatrecasas assessora sul-coreanos da CS Wind na compra de 60% de ASM Industries

A empresa de torres eólicas pretende reforçar a sua presença no mercado europeu. O negócio, avaliado em 46,5 milhões de euros, deverá ficar fecho no próximo mês de setembro.

Linklaters reforça ‘Dispute Resolution’

A sociedade contratou os advogados Paulo Abreu dos Santos e Belarmino Costa da Silva para o escritório de Lisboa.

Bankinter financia em 10 milhões projeto WhiteShell da Vanguard Properties (com áudio)

Para além do Bankinter ser o financiador do projecto, a Vanguard Properties contou com a assessoria legal da Vieira de Almeida e Associados.
Comentários