Vendas de automóveis em Portugal afundaram 34% em 2020

A pandemia da Covid-19 provocou uma forte quebra na venda de automóveis em Portugal este ano, mas vendas ficaram muito acima dos dois anos mais negativos até à data: 1985 e 2012.

HO/Reuters

As vendas de automóveis ligeiros e pesados em Portugal afundaram 33,9% em 2020 face a período homólogo para um total de 176.992 automóveis, segundo os dados hoje divulgados pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

A maior queda mensal registada no ano passado teve lugar durante o mês de abril quando as vendas afundaram 84,6% face a 2019. Recorde-se que os concessionários estiveram totalmente encerrados durante este período devido à vigência do Estado de Emergência.

Analisando os diferentes segmentos, as vendas de ligeiros de passageiros recuaram 35% para 145.417 unidades. Nos ligeiros de mercadorias, as vendas desceram 28,3% para 27.578 unidades. Assim, no total de ligeiros, as vendas desceram 34% para 172.995 unidades. Em relação aos veículos pesados, as vendas recuaram 28,3% para 3.997 unidades.

Desde o início da pandemia em Portugal que as vendas de automóveis registaram quedas de dois dígitos em oito de dez meses, servindo de barómetro para os primeiros estados de emergência, para o levantamento das restrições no verão, e novamente para a imposição de medidas mais duras na reta final do ano: março (-57%), abril (-84,6%), maio (-72%), junho (-54%), julho (-16,9%), agosto (-8,6%), setembro (-9%), outubro (-13%), novembro (-35,3%), dezembro (-19,4%).

Apesar da grande quebra no mercado, as vendas ficaram muito acima do registado em 2012, ano em que a troika estava em Portugal e que o país registava uma forte crise económica e financeira, com 95.290 unidades vendidas. Pior, só mesmo no longínquo ano de 1985 quando foram vendidas um total de 93.012 unidades.

Recomendadas

Ibersol avança com aumento de capital que propicia encaixe até 40 milhões

A empresa que detém a Pizza Hut, KFC, Taco Bell e Burger King anunciou um aumento de capital num montante máximo de 40 milhões de euros. A empresa quer ainda distribuir 20% dos lucros anuais consolidados.

Galp entra no solar no Brasil com a compra de dois projetos de 594 megawatts

A Galp vai entrar nas renováveis no Brasil. A empresa portuguesa acordou a aquisição de dois projetos solares, com uma capacidade total de 594 megawatts de potência.

Goldman Sachs vê EDP a fechar terceiro trimestre com lucros de 505 milhões

Resultados da elétrica nos primeiros nove meses do ano ficariam acima dos 420 milhões do período homólogo de 2020, estima a Goldman Sachs. Mas com o EBITDA a descer, para os 2,48 mil milhões de euros.
Comentários