Vendas de automóveis registam quebra de 1,3% em novembro

Em Novembro de 2019 foram matriculados em Portugal 19.533 veículos automóveis. Já entre janeiro e novembro a queda homóloga foi de 2,9%, tendo sido registados 245.130 novos veículos.

As vendas de automóveis registaram uma quebra de 1,3% em novembro face ao mês de outubro, de acordo com os dados publicados pela associação automóvel de Portugal (ACAP) esta segunda-feira, 1 de dezembro.

No mês em análise foram matriculados em Portugal 19.533 veículos automóveis. Já entre janeiro e novembro a queda homóloga foi de 2,9%, tendo sido registados 245.130 novos veículos.

Automóveis Ligeiros de Passageiros
No mês de novembro de 2019 foram matriculados em Portugal 16.400 automóveis ligeiros de passageiros novos, ou seja, mais 5,8 por cento do que no mês homólogo do ano anterior. Nos onze meses de 2019 as matrículas de veículos ligeiros de passageiros totalizaram 206.073 unidades, o que se traduziu numa variação negativa de 2,9 por cento relativamente a período homólogo de 2018.

Veículos Ligeiros de Mercadorias
O mercado de ligeiros de mercadorias registou-se, no décimo primeiro mês de 2019, uma evolução igualmente desfavorável, tendo decrescido 24,8 por cento face ao mês homólogo do ano anterior, situando-se em 2.842 unidades matriculadas. Em termos acumulados o mercado atingiu 33.915 unidades, o que representou um decréscimo de 3,8 por cento face ao período homólogo do ano anterior.

Veículos Pesados
Quanto ao mercado de veículos pesados, o qual engloba os tipos de passageiros e de mercadorias, em novembro de 2019 verificou-se uma queda de 43,3 por cento em relação ao mês homólogo do ano anterior, tendo sido comercializados 291 veículos desta categoria. No acumulado do ano de 2019 as matrículas totalizaram 5.142 unidades, o que representou uma queda do mercado de 0,9 por cento relativamente ao período homólogo de 2018.

Recomendadas

De Bezos ao fundador do Zoom. Estes 8 bilionários ficaram mais ricos durante a pandemia

Numa altura em que muitas empresas se vêem aflitas para sobreviver aos impactos da Covid-19, algumas, cujo os serviços se tornaram essenciais, viram os seus lucros aumentar, fazendo com que, por sua vez, a riqueza dos seus donos também cresça.

Moody’s defende que BCE admite a criação de um ‘bad bank’ se o malparado disparar

A Moody’s dá nota positiva à criação de um ‘bad bank’ para absorver crédito malparado a nível europeu numa situação de prolongamento da crise e consequente aumento do volume de NPL (non-performing loans), que foi admitido pelo BCE.

Fundos KKR, Cinven e Providence lançam OPA à dona da Nowo e Oni por 2,96 mil milhões de euros

Proposta já foi comunicada ao mercado. A MásMóvil, que é a quarta maior operadora de telecomunicações espanhola, também está presente no mercado português, depois de em agosto de 2019 ter adquirido a Cabonitel, que controla as empresas de telecomunicações Nowo e Oni
Comentários