Venezuela: Oposição está no México à espera para retomar negociações

O Governo presidido por Nicolás Maduro e a oposição venezuelana, aliada do ex-presidente do parlamento Juan Guaidó, previam retomar, sexta-feira, uma terceira ronda de negociações no México.

A Plataforma Unitária de Venezuela (PUV) anunciou este sábado, 25 de setembro, em comunicado, que está no México à espera da delegação que representa o Governo do Presidente Nicolás Maduro, para uma nova ronda de negociações que deveria ter começado na sexta-feira.

“Perante a ausência da delegação do regime, a delegação da PUV reitera o seu compromisso de avançar neste processo, sempre no quadro das normas previamente acordadas no Memorando de Entendimento” assinado conjuntamente, explica o comunicado.

No documento a oposição explica que está no México para “avançar na constituição da Mesa de Atenção Social para promover a nutrição infantil, transplantes e programas de vacinação, entre outros igualmente importantes”.

“Estamos aqui para abrir a discussão sobre a construção do sistema de justiça. A Venezuela é um país com um sistema judicial sequestrado, que persegue e prende dissidentes e promove a impunidade. Resgatá-la é um requisito fundamental para reconquistar os nossos direitos, devolver aos venezuelanos o poder de eleger e reconquistar a democracia, que é o nosso objetivo fundamental”, lê-se no documento.

No comunicado a oposição sublinha: “A isso viemos”. E depois acrescenta: “Desde o início, comprometemo-nos a conduzir de forma transparente e a informar o país em tempo útil, e assim o faremos, no transcurso desta ronda e de todo o processo”.

O Governo presidido por Nicolás Maduro e a oposição venezuelana, aliada do ex-presidente do parlamento Juan Guaidó, previam retomar, sexta-feira, uma terceira ronda de negociações no México, a primeira depois de Caracas ter anunciado que o empresário Alex Saab, que está detido em Cabo Verde a aguardar extradição para os EUA, será integrado como “membro pleno” da delegação que representa o Governo de Nicolás Maduro.

Na próxima ronda, que segundo a imprensa local, poderá começar ainda este sábado, ambas as delegações vão “negociar” sobre o uso de ativos venezuelanos no estrangeiro para programas sociais e modificações ao sistema de justiça da Venezuela.

Entre 13 e 16 de agosto, o Governo venezuelano e a oposição realizaram a primeira ronda de negociações no México, que terminou com a assinatura de um acordo de entendimento manifestando a intenção de chegar a um acordo sobre “as condições necessárias” para a realização de eleições segundo a Constituição, entendendo que é uma necessidade levantar as sanções internacionais”.

Na segunda ronda de negociações, que decorreu entre 3 e 6 de setembro, as duas delegações assinaram dois acordos, sobre a defesa da soberania e a libertação de recursos para enfrentar a crise e a pandemia.

A 14 de setembro, Jorge Rodríguez, em representação do Presidente Nicolás Maduro, anunciou a inclusão do empresário Alex Saab, como “membro pleno” da delegação que representa o Governo nas negociações.

Considerado testa-de-ferro de Nicolás Maduro, Alex Saab, colombiano, de 49 anos, foi detido pela Interpol e pelas autoridades cabo-verdianas a 12 de junho de 2020, durante uma escala técnica no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal.

A detenção ocorreu com base num mandado de captura internacional emitido pelos EUA, quando Sabb viajava para o Irão em representação da Venezuela, na qualidade de “enviado especial” e com passaporte diplomático.

A sua detenção colocou Cabo Verde no centro de uma disputa entre o regime do Presidente Nicolás Maduro, na Venezuela, que alega as suas funções diplomáticas aquando da detenção, e a Presidência norte-americana, bem como irregularidades no mandado de captura internacional e no processo de detenção.

Washington pede a sua extradição, acusando-o de branquear 350 milhões de dólares (295 milhões de euros) para pagar atos de corrupção do Presidente venezuelano, através do sistema financeiro norte-americano.

Recomendadas

Unidade de contraterrorismo britânica investiga morte de deputado conservador

O chefe da polícia de Essex, Ben-Julian Harrington, disse que ainda não se sabe se o esfaqueamento foi um ataque terrorista e que “a investigação está na sua fase inicial”.

Cabo Verde já gastou mais 15% na importação de combustíveis face a 2020

De janeiro a agosto de 2020, período fortemente afetado pelo confinamento geral provocado pela pandemia de covid-19, o arquipélago importou quase 4.657 milhões de escudos (42,1 milhões de euros) em combustíveis, segundo o histórico do BCV.

Brexit: Londres insiste em tirar a Irlanda do Norte da jurisdição do TJUE

A União Europeia diz-se disponível para aceitar menos controlos sanitários e menos papelada na fronteira com o Reino Unido, mas Londres não abre mão da questão do Tribunal de Justiça da União Europeia. As negociações deverão ser novamente infrutíferas.
Comentários