Governo português e TAP acusados de conivência na tentativa de entrada de explosivos na Venezuela

Governo português e TAP foram visados por Deusdado Cabello, presidente da Assembleia Constituinte da Venezuela. Em causa, acusações de tentativa de entrada de explosivos em território venezuelano.

Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Constituinte da Venezuela, acusa esta quinta-feira o Governo português e a TAP de conivência com uma tentativa de entrada de explosivos em território venezuelano, de acordo com notícia avançada pela RTP.

O presidente da Assembleia Constituinte confirmou que as autoridades da Venezuela prenderam o tio de Juan Guaidó quando este chegou ao Aeroporto de Maiquetia, que já tinha sido avançado pelo auto-proclamado presidente venezuelano ontem, 12 de fevereiro.

O tio de Guaidó, Juan José Márquez, está acusado de terrorismo por, alegadamente, transportar explosivos e coletes à prova de bala na viagem que ligou Lisboa a Caracas, que foi feita na transportadora aérea portuguesa. Segundo Diosdado Cabello, o tio do presidente auto-proclamado trazia “material muito perigoso dentro do avião” que seria utilizado em “operações desestabilizadoras na Venezuela”.

De acordo com as declarações à televisão venezuelana, Márquez “trazia umas lanternas táticas, que continham no interior, no compartimento das pilhas, substâncias químicas de natureza explosiva, presumivelmente explosivo sintético C4”.

O líder do regime de Nicolás Maduro afirmou ainda que Guaidó não consta na lista de passageiros da TAP, e que o embaixador de Portugal na Venezuela, Carlos Nuno Almeida de Sousa Amaro, se mudou de Caracas para o terminal aéreo de Maiquetia para receber Guaidó e o tio.

A oposição, os apoiantes de Guaidó, afirma que as provas que Cabello alega ter em sua posse foram plantadas e pediu ainda a libertação imediata de Juan José Márquez.

“Os portugueses acreditam que somos idiotas”, sublinhou Cabello, acusando ainda “o reino de Portugal” de olhar para a Venezuela como um “país de terceiro mundo, em desenvolvimento”.

O Governo português garante que não houve qualquer contacto com a comitiva de Guaidó.

Ler mais
Recomendadas

Produção industrial em Itália cai 2,4% em fevereiro

Em termos homólogos, a produção industrial subiu em bens de capital (1,4%) e baixou a de bens de consumo (3%), a de bens intermédios (2,3%) e a de energia (0,6%).

Mais de 10 mil pessoas protegidas pelo seguro Covid-19 da Tranquilidade/Generali

O produto destina-se a empresas que pretendem proteger os trabalhadores, sobretudo as que continuam em atividade nos seus edifícios e o risco de infeção é superior. Lançado há 10 dias, foi desenvolvido em parceria com a AdvanceCare e garante um subsídio diário de 100 euros por cada dia de hospitalização por esta doença.

Executivo ultima propostas para apoiar os media, mas falta consenso no setor

Media vão receber apoios estatais para enfrentar crise gerada pela pandemia da Covid-19. Governo anuncia apoios “em breve”.
Comentários