PremiumVenezuela tenta retirar 1,5 mil milhões de euros do Novo Banco

Quatro entidades públicas venezuelanas avançaram com providências cautelares contra bloqueio de contas. Caso sejam deferidas, banco arrisca perder 5,3% do total dos depósitos em poucos dias.

Quatro entidades públicas venezuelanas avançaram, no início de março, com uma ação judicial contra o Novo Banco devido ao bloqueio de contas com saldos totais de 1,5 mil milhões de euros. Um montante milionário de depósitos  que será levantado de imediato do banco português caso nos próximos dias o tribunal decida favoravelmente as providências cautelares interpostas pelo Banco de Desarrollo Economico y Social (Bandes), Petróleos de Venezuela (PDVSA), PDVSA Services e Petrocedeño.

As cinco providências cautelares que deram entrada no Tribunal de Comércio de Lisboa reclamam a execução de uma centena de ordens de pagamento que têm sido recusadas pelo Novo Banco desde fevereiro por suspeitas de branqueamento de capitais, revelou ao Jornal Económico fonte próxima ao processo. Este braço de ferro ocorre numa altura em que a PDVSA anunciou a transferência da sua sede na Europa de Lisboa para Moscovo e coincide no timing em que o Novo Banco aguarda uma injeção de capital no valor de 1.149 milhões de euros. Outras fontes do setor sinalizam que o bloqueio de contas ocorreu na sequência de inciativas diplomáticas da oposição venezuelana, liderada por Juan Guaidó, alertando para a legitimidade dos ordenantes das transferências.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

PremiumPDVSA pede registo de aplicações ao Novo Banco

Serão requeridos ao tribunal todos os registos de aplicações que transitaram para o banco herdeiro do BES. Crédito a reclamar deverá ser superior.

Bancos da Venezuela com dificuldades para cobrir fundo de garantia legal obrigatório

Os bancos venezuelanos estão a ter dificuldades para cobrir o fundo de garantia legal obrigatório, denunciou na terça-feira a Comissão de Finanças da Assembleia Nacional da Venezuela, onde a oposição detém a maioria.

Novo Banco com prejuízos de 1,412 mil milhões de euros em 2018

O banco liderado por António Ramalho apresentou prejuízos ligeiramente acima do montante a receber em 2019 pelo Fundo de Resolução e que é de cerca de 1,15 mil milhões.
Recomendadas

Trabalhadores da CGD em greve ao trabalho extraordinário até 14 de janeiro

A partir do próximo dia 13 de dezembro, data de início à greve às horas extraordinárias, os trabalhadores assumem que apenas vão cumprir as sete horas de trabalho.

Banco Montepio emite obrigações sobre 357 milhões de crédito ao consumo

A carteira “Pelican Finance” é uma titularização de crédito ao consumo performing. Não é por isso uma venda de carteira de malparado, explicou ao Jornal Económico fonte do banco. A titularização foi colocada junto de investidores institucionais internacionais, em cinco tranches colateralizadas.

Mckinsey alerta que bancos continuam com rentabilidades abaixo do custo de capital

A Mckinsey considera que a indústria, no seu conjunto, está preparada para uma recuperação que poderá colocar o return on equity (ROE) entre 7% e 12% até 2025. Mas o foco estará no modelo de negócio que os bancos adoptarem.
Comentários