VIC Properties prepara entrada na bolsa de Lisboa em 2020

A informação foi confirmada pelo CEO da empresa imobiliária João Cabaça. Um cenário que já se avizinhava depois de em abril o grupo ter concluído com sucesso a emissão de 250 milhões de euros em obrigações convertíveis garantidas.

A promotora imobiliária VIC Properties prepara-se para entrar na bolsa de Lisboa em 2020, numa altura em que já se encontra em negociações com entidades bancárias, sendo a meta apontada o primeiro semestre do próximo ano, tal como indicou esta quarta-feira, João Cabaça, CEO da empresa.

Apesar de assumir que todos os mercados estão em aberto, João Cabaça diz que “faz sentido” o mercado bolsista português ser uma opção. De resto, a entrada em bolsa da promotora imobiliária já era algo que se avizinhava desde o passado mês de abril.

Nessa altura, a VIC Properties concluiu com sucesso a emissão de 250 milhões de euros em obrigações convertíveis garantidas (secured pre-IPO convertible bonds). Esta operação permitiu, tanto aos investidores nacionais como internacionais, a oportunidade de investir num promotor imobiliário líder em Portugal, reconhecido pela sua inovação e experiência no setor.

As obrigações têm um valor mínimo de 100 mil euros e uma maturidade de seis anos, sendo emitidas a 90% do seu valor nominal, com um cupão anual de 3,00%, permitindo a esses mesmos investidores converterem essas mesmas obrigações em ações da empresa uma vez que a sua entrada em bolsa esteja consumada.

Relacionadas

Prata Riverside Village vai mostrar nova centralidade de Lisboa

O objetivo do Open House Lisboa é “descentralizar, diversificar e ampliar o conhecimento arquitetónico da capital”, durante o próximo fim de semana, 21 e 22 de setembro, e o Prata Riverside Village foca-se nisso, uma vez que se localiza numa das zonas esquecidas da cidade de Lisboa.

Investimento de 400 milhões no projeto Prata Riverside

Espaço residencial situado em Marvila demorou 12 anos a ser aprovado. A fasquia está virada para portugueses e os preços das tipologias comercializadas vão dos 400 mil até mais de um milhão euros.

VIC Properties compra terrenos da Matinha para construir mais de duas mil habitações

Com uma área de aproximadamente 20 hectares, num total de 260 mil metros quadrados previstos de área de construção, a empresa prevê que as obras sejam iniciadas no início de 2020, e os trabalhos realizados ao longo dos anos seguintes.
Recomendadas

Carlos Tavares: “Política monetária em vigor não tem qualquer efeito positivo na economia”

“Não gosto de ver esta situação de taxas baixas. É um desincentivo poderoso à poupança”, disse o presidente do Banco Empresas Montepio, acrescentando que, por outro lado, “pode incentivar mau investimento”.

Falhas na rede móvel da NOS solucionadas. Operador vai averiguar “grave incidente”

A operadora admitiu que falha na rede “provocou interrupção do serviço de voz e dados”, “com impacto em clientes em algumas zonas do país”. Fonte oficial da NOS explicou ao JE que entre o reporte das falhas e a sua resolução passaram “apenas” duas horas e que os planos de contingência foram prontamente ativados e bem sucedidos.

Miguel Maya: “BCP já tem cinco mil operações por dia feitas por robôs”

“O BCP aprendeu com os erros do passado”, reconheceu o banqueiro. Miguel Maya disse que era preciso a tecnologia com a relação humana já que “a tecnologia é para servir a relação”, referiu.
Comentários