Vítor Gaspar: “Complacência do passado pode levar a sobreendividamento e pânico dos investidores”

Diretor do Departamento de Assuntos Orçamentais do FMI repete apelo de Kristalina Georgieva e pede aos países com espaço orçamental para apoiarem a procura agregada. Mas os países já endividados devem ter “prudência” para evitar disrupções nos mercados.

Vítor Gaspar avisou esta quarta-feira que as principais economias mundiais devem estar preparadas para uma “ação coordenada” a nível orçamental, caso a atividade económica global venha a contrair de forma acentuada.

Na apresentação do relatório anual Fiscal Monitor, o diretor dos Departamento de Assuntos Orçamentais do FMI sublinhou que, com inflação baixa e taxas de juros negativas, os “países com espaço orçamental” devem usar essa folga para “apoiar a procura agregada”.

Contudo, acrescentou, na “maioria” das outras economias dívida e o rácio juros/impostos estão num nível elevado, o que leva o ex-ministro português a recomendar políticas orçamentais “prudentes”, assentes numa “visão de médio prazo”.

“Caso contrário, como já aconteceu no passado, a complacência alimentada por baixas taxas de juros pode levar ao sobreendividamento, seguido de pânico dos investidores e disrupção dos mercados”.

Recomendadas

OCDE reitera sinais de abrandamento na zona euro, Alemanha e EUA

Em relação a Portugal, o indicador compósito avançado da OCDE manteve-se em setembro pelo terceiro mês consecutivo nos 98,9 pontos, mantendo-se assim abaixo dos 100 pontos desde novembro de 2018.

CMVM: Empresas demonstram falta de conhecimento sobre finanças sustentáveis

De acordo com o relatório divulgado pelo regulador do mercados sobre os fatores ‘ESG’, as 17 entidades envolvidas nessa consulta pública, entre as quais empresas e associações representativas do setor empresarial e financeiro e dos consumidores, sinalizaram dificuldades de “imprecisão e confusão conceptual” sobre o tema.

Lisboa e Porto concentram mais de metade do poder de compra em Portugal

Apenas em 32 dos 308 municípios portugueses, o poder de compra per capita é superior à média nacional.
Comentários