Vodafone é líder mundial em Internet das Coisas

O grupo Vodafone gere, atualmente, 77 milhões de cartões de Internet of Things (IoT), utilizando para o efeito uma plataforma única.

A ‘Internet das Coisas’ consiste numa tecnologia que permite às empresas ligar todos os equipamentos e sensores, tornando-os “inteligentes”.

O grupo Vodafone gere, atualmente, 77 milhões de cartões de IoT, utilizando para o efeito uma plataforma única, que garante globalmente “a mesma qualidade e experiência de utilização aos seus clientes”.

A posição foi atribuída no Gartner Magic Quadrant em Gestão de Serviços Machine-to-Machine (M2M) nas categorias “capacidade de execução” e “abrangência de visão”.

O relatório revela que as organizações que investem em IoT contabilizam, em média, um aumento de 20% nas suas receitas e uma redução de custos de 16%.

Empresas esperam retorno do investimento em IoT em dois anos

Ler mais
Relacionadas

Biometria e Internet das Coisas continuarão a marcar segurança em 2019

Da empresa à casa, da vida profissional ao âmbito privado e pessoal, estamos permanentemente conectados.

Empresas não estão preparadas para ciberataque em Internet das Coisas

Estudo da Trend Micro mostra uma grande discrepância entre o investimento em sistemas de IoT e a segurança para protegê-los.
Recomendadas

Teixeira dos Santos: “Não tenho razões para me arrepender” da escolha de Carlos Santos Ferreira e Armando Vara

O Estado “nunca interferiu em qualquer operação” da Caixa Geral de Depósitos, garantiu ainda o ex-ministro das Finanças, na última comissão parlamentar de inquérito aos atos de gestão e recapitalização do banco público, que se realizou esta quarta-feira.

Apple considera mudar até 30% das operações da China para o Sudeste Asiático

A Índia e o Vietname são as opções cimeiras para a gigante tecnológica. A corretora Wedbush Securities sublinha que levaria pelo menos 2 a 3 anos a transferir 15% da produção de iPhones da China para outras regiões.

TAP concretiza maior operação em Bolsa desde 2012 no valor de 200 milhões de euros

A dona da companhia aérea nacional divulgou esta quarta-feira à tarde os resultados da oferta pública de subscrição das “Obrigações TAP 2019-2023”. O Jornal Económico sabe que a TAP quer captar mais 350 a 400 milhões de euros em futura abertura de capital.
Comentários