Volume de negócios nos serviços desacelera no mês de julho

De acordo com o INE, os principais culpados são o comércio e reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento homólogo de 4,2% em junho para uma redução de 0,7% em julho.

No mês de julho, a taxa de volume de negócios desacelerou para 1,4% quando comparada ao mês anterior. Principais culpados são o comércio e reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento homólogo de 4,2% em junho para uma redução de 0,7% em julho.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados esta quarta-feira, informam que a contrariar a tendência registou-se uma evolução no setor de transportes e amazenagem com um aumento homólogo de 6,3% em julho, mais 1,2 p.p. que no mês anterior.

O índice de emprego nos serviços foi a secção que mais cresceu, registando um aumento de 1,9% em julho. No mês anterior, o INE registou 1,5%. Já o volume de trabalho, medido pelo número de horas trabalhadas, aumentou, em termos homólogos, 3,6% em julho, quando no mês anterior tinha diminuído 2,0%.

Recomendadas

Portugal continua com menos gente e cada vez mais velho

Uma população mais pequena, mais idosa, mas com poucas diminuições na percentagem em risco de pobreza. Tendência de decréscimo populacional e envelhecimento poderia ser ainda mais notória, não fosse o saldo migratório

Exportações de vestuário caem 43% em maio

A tendência de queda manteve-se em maio, com a indústria de vestuário a ter uma queda de 43% de envios para o exterior. Desde o início do ano, as empresas do setor perderam mais de 300 milhões de euros em exportações.

Vice-presidente da Comissão Europeia concorda com preocupações da CIP

Carta enviada em abril por António Saraiva a Ursula von der Leyen obteve resposta do seu “vice”. Valdis Dombrovskis defende “que a Europa deve estar equipada com os instrumentos necessários para enfrentar as consequências económicas e sociais da crise”.
Comentários