Volume de negócios nos serviços desacelera no mês de julho

De acordo com o INE, os principais culpados são o comércio e reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento homólogo de 4,2% em junho para uma redução de 0,7% em julho.

No mês de julho, a taxa de volume de negócios desacelerou para 1,4% quando comparada ao mês anterior. Principais culpados são o comércio e reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento homólogo de 4,2% em junho para uma redução de 0,7% em julho.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados esta quarta-feira, informam que a contrariar a tendência registou-se uma evolução no setor de transportes e amazenagem com um aumento homólogo de 6,3% em julho, mais 1,2 p.p. que no mês anterior.

O índice de emprego nos serviços foi a secção que mais cresceu, registando um aumento de 1,9% em julho. No mês anterior, o INE registou 1,5%. Já o volume de trabalho, medido pelo número de horas trabalhadas, aumentou, em termos homólogos, 3,6% em julho, quando no mês anterior tinha diminuído 2,0%.

Recomendadas

Leitores internacionais da Time Out não têm dúvidas: Bairro lisboeta de Arroios é o mais cool do mundo

A freguesia de Arroios, localizada na zona da Avenida Almirante Reis em Lisboa, superou bairros em Berlim, Lons Angeles, Nova Iorque, Tóquio ou Madrid.

Défice externo agrava-se para 1.633 milhões de euros até julho

O défice da balança de bens aumentou 2028 milhões de euros e o excedente da balança de serviços diminuiu 137 milhões de euros até julho, explica o Banco de Portugal.

“Universidade com 700 anos quer banir um alimento com milhares de anos? Incompreensível”. Produtores de leite revoltados com Universidade de Coimbra

A organização explica que a carne não é o principal produto das vacarias e que a venda ou engorda dos vitelos machos e das vacas após o fim da vida produtiva “é um complemento fundamental, quando o preço do leite está abaixo do custo de produção”.
Comentários