Volume de negócios nos serviços desacelera no mês de julho

De acordo com o INE, os principais culpados são o comércio e reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento homólogo de 4,2% em junho para uma redução de 0,7% em julho.

No mês de julho, a taxa de volume de negócios desacelerou para 1,4% quando comparada ao mês anterior. Principais culpados são o comércio e reparação de veículos automóveis e motociclos, que passou de um crescimento homólogo de 4,2% em junho para uma redução de 0,7% em julho.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados esta quarta-feira, informam que a contrariar a tendência registou-se uma evolução no setor de transportes e amazenagem com um aumento homólogo de 6,3% em julho, mais 1,2 p.p. que no mês anterior.

O índice de emprego nos serviços foi a secção que mais cresceu, registando um aumento de 1,9% em julho. No mês anterior, o INE registou 1,5%. Já o volume de trabalho, medido pelo número de horas trabalhadas, aumentou, em termos homólogos, 3,6% em julho, quando no mês anterior tinha diminuído 2,0%.

Recomendadas

Portugueses recorrem cada vez mais ao crédito. 635 milhões em setembro

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num […]
marcelo_rebelo_sousa_legislativas

Marcelo considera aumento do salário mínimo “razoável” e promulga hoje o diploma

O Presidente da República vai promulgar hoje o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera “uma solução razoável, a pensar na economia e na sociedade portuguesa”.

Carlos Costa: Instabilidade financeira iria “criar muitos problemas que alimentariam” populismos

Governador do Banco de Portugal voltou a apelar a uma vontade política decisiva para avançar com a conclusão da União Bancária e o desenvolvimento da União dos Mercados de Capitais, a fim de fortalecer a estabilidade da zona euro.
Comentários