Wall Street fecha mista depois de uma semana de ganhos

O índice Dow Jones, que estava a caminhar para o maior ganho semanal desde 9 de abril, deslizou esta noite 0,04%. A bolsa de Nova Iorque regressa às negociações na terça-feira devido ao feriado nos Estados Unidos.

Brendan McDermid / Reuters

Wall Street vai de fim de semana prolongado sem tendência definida. Depois de uma semana de ganhos expressivos, a bolsa de Nova terminou a sessão desta sexta-feira mista devido ao otimismo em torno de uma vacina para o novo coronavírus e ao ímpeto que voltou a ganhar a guerra comercial entre as duas maiores potências do mundo.

“O Senado norte-americano aprovou ontem um projeto de lei que obriga as empresas chinesas a cumprirem as regras contabilísticas dos Estados Unidos para se manterem em bolsa. Esse projeto precisa agora apenas de aprovação na Câmara dos Representantes e assinatura do presidente Trump”, explica André Neto Pires, analista da XTB.

Ademais, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, acusa Pequim de falta de transparência em relação à doença Covid-19.

Perante este contexto político-económico, os três principais índices bolsistas de Wall Street encerraram as negociações de hoje com comportamentos distintos. O Dow Jones – que subiu cerca de 3% ao longo da semana e estava a caminhar para o maior ganho semanal desde 9 de abril – perdeu 0,04%, para os 24.465,16 pontos, o financeiro S&P 500 subiu 0,26%, para os 2.956,20 pontos, e o tecnológico Nasdaq avançou 0,43%, para os 9.324,59 pontos. Já o Russel 2000 valorizou 0,16%, para os 1.352,75 pontos.

As ações da Foot Locker caíram 8,66%, para 26,84 dólares, depois de a empresa de roupa e calçado desportivo ter apresentado prejuízos nos primeiros três meses de 2020 e ter anuncia do a suspensão dos dividendos trimestrais.

Já os títulos da tecnológica HPE (Hewlett Packard Enterprise) perderam 11,40%, para 9,17 dólares, após a multinacional ter divulgado as contas do segundo trimestre do ano fiscal 2020. Penalizadas pela pandemia, as suas receitas líquidas diminuíram 16% em termos homólogos, para 6,01 mil milhões de dólares (cerca de 5,52 mil milhões de euros).

Por outro lado, a biofarmacêutica Moderna, que está a desenvolver uma vacina experimental (chamada mRNA-1273) contra o vírus SARS-CoV-2 subiu 2,67%, para 69 dólares. Em causa está o facto de o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, Anthony Fauci ter dito publicamente que a informação que tem sobre esse tratamento parecem “promissoras”.

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha em alta depois de um dia ‘nervoso’

Wall Street fechou em alta esta quinta-feira, mas o dia foi bastante agitado, com os investidores a sentirem algum nervosismo face ao andamento do mercado. E da política. Finalmente, um analista disse que a perspetiva de estímulos económicos não mexe com o mercado.

Bolsas europeias fecham com perdas. EDP Renováveis penaliza Lisboa

As maiores quedas do PSI-20 foram a energética EDP Renováveis, que tombou 3,01%, a papeleira Semapa, que caiu 2,44% e a tecnológica Novabase, que desvalorizou 2,35% para 3,33 euros.

Menos pedidos de subsídio de desemprego não chegam para acalmar Wall Street

A bolsa de Nova Iorque segue em baixa, tal como no início da sessão desta quinta-feira. Em contraciclo e com uma subida exponencial está a Align Technology, que apresentou resultados trimestrais e dispara mais de 30%.
Comentários