Wall Street fecha no ‘vermelho’ com receio de recessão

No dia que antecede a publicação das minutas da reunião de julho da Fed, todos os setores encerraram a sessão em terreno negativo, a começar pelo financeiro.

A bolsa de Nova Iorque encerrou a sessão desta terça-feira com quedas, depois de três sessões em que se valorizou, numa altura em que se avolumam os receios de que uma recessão possa afetar as maiores economias mundiais.

O índice Dow Jones fechou a perder 173,35 pontos, ou seja, 0,66%, descendo da barreira psicológica dos 26 mil pontos, ao passo que o S&P500 perdeu 0,79%, para 2.900,51 pontos. Também o Nasdaq, o principal índice das empresas tecnológicas, perdeu 0,68%, para 7.948,56 pontos.

No dia que antecede a publicação das minutas da reunião de julho da Reserva Federal (Fed), todos os setores em Wall Street acabaram a sessão no ‘vermelho’, a começar pelo financeiro, que perdeu 1,40%, arrastado pela queda da rentabilidade dos títulos do Tesouro a 10 anos, a principal referência para as hipotecas e os empréstimos.

“Não perspetivamos uma entrada em recessão a curto/médio-prazo, apesar da curva das taxas nos Estados Unioos se ter invertido. Atualmente são as políticas monetárias que determinam os movimentos da curva das taxas de juro. Esta semana, o encontro anual de banqueiros centrais em Jackson Hole poderá dar-nos novas pistas sobre o rumo das políticas monetárias. Nesse sentido, terá particular destaque a intervenção de Powell, na sexta-feira às 15h”, referiram os analistas do Bankinter, em research de mercado publicado hoje.

Relacionadas

Wall Street acompanha Europa nas perdas

Depois de três sessões consecutivas de ganhos, os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram esta terça-feira em terreno negativo, acompanhando as congéneres europeias.

Wall Street recupera do tombo, apesar da ameaça de recessão

Foi a vez da Alemanha indiciar que poderá lançar um programa de incentivo para combater a provável recessão que se vai abater na economia do país.
Recomendadas

Coronavírus: Petróleo negoceia em queda devido a riscos de propagação da epidemia

Cerca das 11:55 (hora de Lisboa) o barril de Brent do mar do Norte para entrega em abril negociava a 56,05 dólares no mercado de Londres, uma descida de 4,19% em relação ao preço de encerramento na sexta-feira.

Coronavírus coloca Wall Street à defesa

É expectável que exista uma resposta, talvez mesmo coordenada, de vários países e autoridades monetárias, o que poderá vir a suportar o mercado.

Refúgio em tempo de coronavírus: preço do ouro atinge máximos de sete anos

O preço de uma onça de ouro, para entrega em abril, sobe 2,12% para 1.683 dólares, um nível tocado pela última vez em fevereiro de 2013.
Comentários