Wall Street prolonga perdas e crude cai mais de 5%

O selloff sentiu-se principalmente nos setores tecnológicos e sinalizou a preocupação com que os investidores encaram as tensões entre os EUA e a China, temendo que poderão contribuir para o arrefecimento da economia mundial.

Reuters

Dia negro nas bolsas norte-americanas e na cotação do petróleo. Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque não inverteram a tendência negativa que já se tinha verificado na véspera, com o sentimento dos investidores a ser penalizado pela subida das tensões entre os Estados Unidos e a China.

Esta quinta-feira, o S&P 500 perdeu 1,19%, para 2.822,24 pontos; o tecnológico Nasdaq caiu 1,52% para 7.307,93 pontos; e o industrial Dow Jones desvalorizou 1,11%, para 25.490,47 pontos.

selloff sentiu-se principalmente nos setores tecnológicos e sinalizou a preocupação com que os investidores encaram as tensões entre os EUA e a China, temendo que poderão contribuir para o arrefecimento da economia mundial.

No epicentro das tensões está a Huawei, a tecnológica chinesa que é uma das maiores empresas em 5G, depois de administração de Donald Trump a ter colocado na ‘lista negra’, impedindo a empresa chinesa de ter relações comerciais com parceiras tecnológicas.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está em ‘queda livre’, depois de os EUA terem divulgado as reservas de petróleo. Na semanada passada, o stock do crude atingiu o valor mais elevado desde 2017, fixado em 4,7 milhões e barris, contrariamente ao esperado pelos analistas.

O barril de Brent está nos 67 96 dólares, depois de perder 4,27% enquanto o West Texas Intermediate, nos Estados Unidos, está nos 58,20 dólares, depois de perder 5,24%.

 

Ler mais
Relacionadas

‘Guerra fria’ tecnológica penaliza Wall Street

As tensões comerciais entre os EUA e a China estão a penalizar o sentimento dos investidores em Nova Iorque. No epicentro da ‘guerra fria’ estão as tecnológicas chinesas Huawei e Hikvision, que poderão ambas integrar a ‘lista-negra’ da administração Trump. Setores tecnológico e de semi-condutores estão fortemente penalizados.
Recomendadas

Depois do BCE, o que vai fazer a Fed? Investidores com reservas deixam Wall Street no ‘vermelho’

O alargado S&P 500 recuou 0,11% para 3.006,16 pontos e o Nasdaq tombou 0,31% para 7.892,95. Apenas o industrial Dow Jones conseguiu manter-se no verde e fechou com uma valorização de 0,14% para 27.219,52 pontos.

S&P mantém ‘rating’ de Portugal, mas sobe ‘outlook’ para positivo

Agência norte-americana manteve a notação financeira de Portugal no segundo grau de investimento, mas subiu o ‘outlook’ de ‘estável’ para ‘positivo’. Política monetária do BCE, juntamente com os ganhos de competitividade em Portugal, melhoraram a resiliência externa da economia e reduziram o custo do serviço da dívida externa, justificou a S&P.

PSI20 fecha semana no ‘verde’ com BCP a ajudar

Por setores, note-se que a banca foi dos mais animados com os espanhóis Sabadell e CaixaBank na linha da frente. BCP aproveitou o ambiente do setor e deu impulso ao PSI20, com uma subida acima dos 4%.
Comentários