Wall Street reage mal aos dados da inflação e encerra o dia no ‘vermelho’

Também o índice de preços no consumidor (IPC) subiu 0,8% em abril nos Estados Unidos, com a inflação a acelerar para 4,2% em relação ao mesmo mês de 2020, indicou hoje o Departamento do Trabalho. A subida foi a maior desde 2008. As previsões dos analistas apontavam para uma subida de 0,2% em abril face ao mês anterior, em vez dos 0,8% verificados.

Reuters

Os principais índices em Nova Iorque encerraram o dia em terreno negativo, em reação aos dados de inflação do mês de abril nos EUA. A inflação subiu 4,2% em abril, bem acima das  expectativas do mercado que apontavam para um aumento de 3,6%.

Também o índice de preços no consumidor (IPC) subiu 0,8% em abril nos Estados Unidos, com a inflação a acelerar para 4,2% em relação ao mesmo mês de 2020, indicou hoje o Departamento do Trabalho. A subida foi a maior desde 2008. As previsões dos analistas apontavam para uma subida de 0,2% em abril face ao mês anterior, em vez dos 0,8% verificados.

“Os investidores demonstraram preocupações sobre os constrangimentos nas cadeias de fornecimentos e o aumento das matérias-primas, permanecendo a dúvida se estes iriam trazer uma inflação transitória ou duradoura, contrariando assim o que tem sido a postura da FED, onde uma vez mais um dos seus membros afirmou que esta seria transitória”, comentou o trader do Millennium bcp, Ramiro Loureiro.

O S&P 500 perde 2,12% para os 4.063,98 pontos. O tecnológico Nasdaq encerra a cair 2,67% para 13.031,68 pontos. O índice industrial Dow Jones também fecha o dia em terreno negativo, a desvalorizar 1,99% para 33.587,07 pontos.

Nas empresas, destaque para a Tesla (-4,41%) que vendeu menos 27% dos seus carros fabricados na China em abril em comparação com o mês de março. Os dados foram avançados pela China Passenger Car Association. Enquanto isso, a queda registada no mês passado na China foi de 12% em comparação com o mesmo período do ano passado. Também a Amazon viu as ações desvalorizarem 2,16%, mesmo depois de ter ganho o recurso judicial contra a Comissão Europeia, que ordenou que a empresa americana devolvesse cerca de 250 milhões de euros de impostos no Luxemburgo.

O preço do barril de petróleo está a subir nos dois lados do Atlântico. Em Nova Iorque, o WTI aumenta 0,81% para os 65.81 dólares por barril, enquanto o Brent está a valorizar 0,79% para os 69.09 dólares em Londres.

No mercado cambial, o euro deprecia 0,57% face ao dólar norte-americano para os 1,2077 dólares. A libra esterlina também deprecia 0,60% face à moeda dos Estados Unidos, para 1,4055 dólares.

Recomendadas

Wall Street arranca semana mista à espera da reunião da Fed

A Novavax está a subir mais de 2%, depois de revelar os resultados de um ensaio clínico à sua vacina contra a Covid-19. O teste nos Estados Unidos revelou que o fármaco é mais de 90% eficaz contra a doença e dá igualmente proteção contra as variantes do vírus SARS-CoV-2.

Bolsa portuguesa acompanha Europa no ‘verde’

Entre as principais praças europeias, o alemão DAX ganha 0,18%, o francês CAC 40 sobe 0,19%, o espanhol IBEX 35 valoriza 0,53% e o britânico FTSE 100 aumenta 0,41%.

Bolsa de Lisboa em terreno positivo impulsionada por cotadas do grupo EDP

No PSI-20 os ganhos são liderados pela Mota-Engil e pelos CTT que sobem mais de 1,7%.
Comentários